quarta-feira, 30 de março de 2022

Jesus é Deus? (por Rod Rhodes) - parte 01 de 02

Bookmark and Share Bookmark and Share


Jesus é realmente Deus? Existem muitos cultos e religiões falsas hoje que negam isso. Qual é a verdade sobre Jesus Cristo? Nós nos voltamos para as Escrituras para a resposta.

Jesus é Deus? Existem muitos cultos e religiões falsas hoje que negam isso. As Testemunhas de Jeová, por exemplo, acreditam que Jesus foi criado pelo Pai há bilhões de anos como o Arcanjo Miguel e, portanto, é um “deus menor” que o Pai. Os mórmons dizem que Jesus nasceu como o primeiro e maior filho espiritual do Pai Celestial e da mãe celestial, e era o irmão espiritual de Lúcifer. Os adeptos da Nova Era afirmam que Jesus foi um mestre iluminado. Os universalistas unitários dizem que Jesus era apenas um bom professor de moral. Qual é a verdade sobre Jesus Cristo - Jesus é Deus? Nós nos voltamos para as Escrituras para a resposta.


Jesus é Deus? sim.

Existem inúmeras evidências para a divindade absoluta de Jesus Cristo na Bíblia. A seguir, um resumo das evidências mais importantes.


Jesus tem os nomes de Deus

Jesus Cristo possui nomes divinos - nomes que só podem ser usados por Deus. Por exemplo:


Jesus é Yahweh.[1]

Yahweh é um nome hebraico muito comum para Deus no Antigo Testamento, ocorrendo mais de 5.300 vezes. É traduzido como SENHOR (todas as maiúsculas) em muitas traduções inglesas da Bíblia.

Aprendemos este nome pela primeira vez em Êxodo 3, onde Moisés perguntou a Deus por qual nome Ele deveria ser chamado. Deus lhe respondeu: "EU SOU O QUE SOU... Assim dirás aos filhos de Israel: 'EU SOU me enviou a vós'" (versículo 14). Yahweh é basicamente uma forma abreviada de "EU SOU O QUE SOU" (versículo 15). O nome transmite a ideia de auto-existência eterna. Yahweh nunca veio a existir em um ponto no tempo, pois Ele sempre existiu.

Jesus implicitamente atribuiu esse nome divino a si mesmo durante um confronto que teve com um grupo de judeus hostis. Ele disse: “Digo-vos que, antes que Abraão existisse, EU SOU” (João 8:58). Jesus deliberadamente contrastou a origem criada de Abraão - a quem os judeus veneravam - com Sua própria natureza eterna e incriada como Deus.


Jesus é Kurios

O equivalente grego do Novo Testamento do nome hebraico do Antigo Testamento Yahweh é Kurios. Usado por Deus, Kurios carrega a ideia de um ser soberano que exerce autoridade absoluta. A palavra é traduzida Senhor nas traduções inglesas da Bíblia.

Para um cristão primitivo acostumado a ler o Antigo Testamento, a palavra Senhor, quando usada para Jesus, indicaria Sua identificação com o Deus do Antigo Testamento (Yahweh). Portanto, a afirmação de que "Jesus é Senhor" (Kurios) no Novo Testamento constitui uma afirmação clara de que Jesus é Yahweh, como é o caso em passagens como Romanos 10:9, 1 Coríntios 12:3 e Filipenses 2:5-11.


Jesus é Elohim

Elohim é um nome hebraico que é usado para Deus 2.570 vezes no Antigo Testamento. O nome significa literalmente “forte”, e sua terminação no plural (im em hebraico) indica plenitude de poder. Elohim é retratado no Antigo Testamento como o poderoso e soberano governador do universo, governando os assuntos da humanidade.

Jesus é reconhecido como Yahweh e Elohim na profecia de Isaías 40:3: "Preparai o caminho do Senhor [Yahweh]; endireitar no deserto uma estrada para o nosso Deus [Elohim]." Este versículo foi escrito em referência a João Batista se preparando para a vinda de Cristo (conforme confirmado em João 1:23) e representa uma das afirmações mais fortes da divindade de Cristo no Antigo Testamento. Em Isaías 9:6, também lemos uma profecia de Cristo com uma variante singular (El) de Elohim: "E o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte [El], Pai da Eternidade, Príncipe da Paz".


Jesus é Theos

A palavra grega do Novo Testamento para Deus, Theos, é o paralelo correspondente ao termo hebraico do Antigo Testamento Elohim. Um exemplo bem conhecido de Cristo sendo tratado como Deus (Theos) é encontrado na história do “duvidoso Tomé” em João 20. Nesta passagem, Tomé testemunha o Cristo ressurreto e responde com adoração: "Meu Senhor e meu Deus [Theos]" (João 20:28).

Jesus é chamado de Theos em todo o restante do Novo Testamento. Por exemplo, quando um carcereiro perguntou a Paulo e Silas como ser salvo, eles responderam: "Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa" (Atos 16:31). Depois que o carcereiro creu e foi salvo, ele "alegrou-se, tendo crido em Deus [Theos] com toda a sua casa" (versículo 34). Crer em Cristo e crer em Deus são vistos como atos idênticos.


Jesus possui os atributos de Deus

Jesus possui atributos que pertencem somente a Deus.

Jesus é eterno. 

João 1:1 afirma: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." A palavra estava neste versículo é um tempo imperfeito, indicando existência contínua e permanente. Quando o universo espaço-tempo surgiu, Cristo já existia (Hebreus 1:8-11).

Jesus é auto-existente. 

Como o Criador de todas as coisas (João 1:3; Colossenses 1:16; Hebreus 1:2), o próprio Cristo deve ser incriado. Colossenses 1:17 nos diz que Cristo é “antes de todas as coisas, e nele todas as coisas subsistem”.

Jesus está presente em todos os lugares

Cristo prometeu a Seus discípulos: "Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles" (Mateus 18:20). Como as pessoas de todo o mundo se reúnem em nome de Cristo, a única maneira de Ele estar presente com todas elas é se Ele for verdadeiramente onipresente (veja Mateus 28:20; Efésios 1:23, 4:10; Colossenses 3:11).

Jesus é onisciente. 

Jesus sabia onde os peixes estavam na água (Lucas 5:4,6; João 21:6-11), e Ele sabia exatamente qual peixe continha a moeda (Mateus 17:27). Ele conhecia o futuro (João 11:11, 18:4), detalhes específicos que seriam encontrados (Mateus 21:2-4), e sabia de longe que Lázaro havia morrido (João 11:14). Ele também conhece o Pai como o Pai O conhece (Mateus 11:27; João 7:29, 8:55, 10:15, 17:25).

Jesus é onipotente. 

Cristo criou o universo inteiro (João 1:3; Colossenses 1:16; Hebreus 1:2) e sustenta o universo por Seu próprio poder (Colossenses 1:17; Hebreus 1:3). Durante Seu ministério terreno, Ele exerceu poder sobre a natureza (Lucas 8:25), doenças físicas (Marcos 1:29-31), espíritos demoníacos (Marcos 1:32-34) e até mesmo a morte (João 11:1-44).

Jesus é soberano. 

Cristo atualmente está sentado à direita de Deus Pai, "os anjos, as autoridades e as potestades lhe foram sujeitados" (1 Pedro 3:22). Quando Cristo vier novamente em glória, Ele será adornado com um manto majestoso, e na parte da coxa do manto estarão as palavras: "REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES" (Apocalipse 19:16).

Jesus é sem pecado. 

Jesus desafiou os líderes judeus: "Qual dentre vós me convence de pecado?" (João 8:46). O apóstolo Paulo se referiu a Jesus como "Aquele que não conheceu pecado" (2 Coríntios 5:21). Jesus é aquele que "amou a justiça e odiou a iniquidade" (Hebreus 1:9), era "sem pecado" (Hebreus 4:15) e era "santo, inocente e sem mácula" (Hebreus 7:26).


Jesus possui a autoridade de Deus

Jesus sempre falou em Sua própria autoridade divina. Ele nunca disse: "Assim diz o Senhor" como fizeram os profetas; Ele sempre dizia: "Em verdade, em verdade vos digo..." Ele nunca retirou nada do que disse, nunca adivinhou ou falou com incerteza, nunca fez revisões, nunca se contradisse e nunca se desculpou pelo que disse. Ele até afirmou: "O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras de modo algum passarão" (Marcos 13:31), elevando assim Suas palavras diretamente ao reino do céu.


Jesus realiza as obras de Deus

A divindade de Jesus também é provada por Seus milagres. Seus milagres são freqüentemente chamados de “sinais” no Novo Testamento. Sinais sempre significam algo - neste caso, que Jesus é o Messias divino.

Alguns dos milagres mais notáveis de Jesus incluem transformar água em vinho (João 2:7-8); andando sobre o mar (Mateus 14:25; Marcos 6:48; João 6:19); acalmar um mar tempestuoso (Mateus 8:26; Marcos 4:39; Lucas 8:24); alimentar 5.000 homens e suas famílias (Mateus 14:19; Marcos 6:41; Lucas 9:16; João 6:11); ressuscitar Lázaro dos mortos (João 11:43-44); e fazer com que os discípulos pegassem um grande número 7de peixes (Lucas 5:5-6.


Jesus é Adorado como Deus

Jesus foi adorado em muitas ocasiões no Novo Testamento. Ele aceitou a adoração de Tomé (João 20:28), anjos (Hebreus 1:6), alguns sábios (Mateus 2:11), um leproso (Mateus 8:2), um governante (Mateus 9:18), um cego (João 9:38), uma mulher anônima (Mateus 15:25), Maria Madalena (Mateus 28:9) e os discípulos (Mateus 28:17).

A Escritura é enfática que somente Deus pode ser adorado (Êxodo 34:14; Deuteronômio 6:13; Mateus 4:10). Em vista disso, o fato de humanos e anjos adorarem Jesus em várias ocasiões mostra que Ele é Deus.


Notas:
[1] normalmente traduzido como Javé ou Jeová