terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Quem é o Anjo do SENHOR e o que a Bíblia diz a respeito? (por Liz Kanoy)


A coisa mais importante a se lembrar quando se estuda a identidade do anjo do Senhor (também referido como o anjo de Deus em alguns casos) na Bíblia é que o significado pode variar dependendo do contexto da passagem. A melhor maneira de estudar o significado é olhar para o contexto da passagem, bem como o contexto de passagens semelhantes. Devemos usar as Escrituras para interpretar as Escrituras e, como sempre, orar pela sabedoria discernente do Espírito Santo.

Embora haja alguma controvérsia em torno da identidade do anjo do SENHOR, em termos gerais existem quatro escolas de pensamento - em que o anjo do Senhor é ou:
  1. Um anjo mensageiro especial, um ser celestial, que agia como representante de Deus (não o próprio Deus).
  2. Deus Pai, mostrando-se como uma manifestação divina para a humanidade. Isso é conhecido como uma teofania - "aparição de Deus".
  3. Deus o Filho, manifestado em uma forma corporal pré-encarnada. Isso é conhecido como uma cristofania - "aparição de Cristo".
  4. Varia. A figura é às vezes uma manifestação de Deus e, às vezes, um ser celestial angelical representando Deus, dependendo do contexto do texto.
O termo anjo significa "enviado" ou "mensageiro", e SENHOR em hebraico é YHWH ou Yahweh. O anjo do SENHOR é um enviado por YHWH ou um mensageiro de YHWH. Se a passagem da Bíblia está se referindo ao Jesus pré-encarnado, então o significado de "anjo" está se referindo ao ofício de enviado. Isto está de acordo com a missão de Jesus como Aquele que o Pai enviou ao mundo. (João 8:18, João 3:17). Ele deu testemunho de si mesmo e veio testemunhar a verdade. Quando a passagem se refere a um ser celestial angelical enviado para entregar uma mensagem, então o termo “anjo” está se referindo à natureza do ser - uma das hostes celestiais, um ser espiritual criado por Deus. Assim, a palavra "anjo" nem sempre se refere à natureza de um ser chamado nas Escrituras, pode se referir ao ofício de um ser.

Agar e o anjo do SENHOR - Genesis 16:7-14

Disse-lhe mais o anjo do Senhor: Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, que não será contada, por numerosa que será.Disse-lhe também o anjo do Senhor: Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamarás o seu nome Ismael; porquanto o Senhor ouviu a tua aflição.E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos.E ela chamou o nome do Senhor, que com ela falava: Tu és Deus que me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê?(vs. 10-13)
Em Gênesis 16, o anjo é referido como o anjo do SENHOR (SENHOR significando YHWH); o anjo do SENHOR está falando de um modo que somente Deus falaria - somente Deus pode multiplicar a descendência de alguém e fazer promessas como essa. Agar também acredita que isso é Deus, pois ela dá ao anjo o nome de El Roi - o Deus que me vê. Ela falou: “Não olhei eu também para aquele que me vê?” (v. 13).

Bíblia de Estudo ESV comenta,

“A palavra hebraica para 'anjo' também pode ser traduzida como 'mensageiro'… Quando 'o anjo do SENHOR' fala, suas palavras são percebidas como sendo palavras de Deus. Portanto, a impressão é que o anjo é idêntico a Deus ”.

O anjo do Senhor disse a Agar que nomeasse seu filho Ismael, que significa “Deus ouve”. Embora o anjo pudesse ser um representante angelical de Deus, parece provável neste contexto particular que o anjo ou mensageiro do SENHOR é Deus.

Abraão e o anjo do SENHOR - Genesis 18 & 22

Em Gênesis 18, as Escrituras nos dizem que o SENHOR apareceu a Abraão e Sara na forma de um homem junto com dois outros homens:
Depois apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, no calor do diaE levantou os seus olhos, e olhou, e eis três homens em pé junto a ele. E vendo-os, correu da porta da tenda ao seu encontro e inclinou-se à terra,E disse: Meu Senhor, se agora tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que não passes de teu servo." (vs. 1-3)
Abraão reconheceu estes visitantes como sendo extremamente importantes, daí o comportamento atípico (para alguém da sua idade e riqueza) correndo para cumprimentá-los, mas ele notou algo diferente sobre um deles. O termo “Ó Senhor” aqui, como a Bíblia de Estudo ESV explica, “(Hb. Adonay) é um distintivo para Deus no AT (por exemplo, 20: 4) ... Se a grafia no texto hebraico estiver correta - e não há razão para duvidar disso - então Abraão reconhece que um de seus visitantes é uma manifestação divina ”.

Em Gênesis 22:11-18 lê-se:
Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho.Então levantou Abraão os seus olhos e olhou; e eis um carneiro detrás dele, travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.E chamou Abraão o nome daquele lugar: o Senhor proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do Senhor se proverá.Então o anjo do Senhor bradou a Abraão pela segunda vez desde os céus,E disse: Por mim mesmo jurei, diz o Senhor: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único filho,Que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos;E em tua descendência serão benditas todas as nações da terra; porquanto obedeceste à minha voz."
Abraão sabia que este era o SENHOR provendo para ele; na mesma frase que o anjo do SENHOR fala, vemos a frase “declara o SENHOR” - muito claramente o anjo do SENHOR e o SENHOR (YHWH) são um e o mesmo neste contexto também. Deus reiterou sua promessa anteriormente falada a Abraão (Gênesis 12:1-3), e ele terminou sua declaração dizendo “você obedeceu a minha voz”.

Jacó e o anjo de Deus - Gênesis 31, 32, 48

E disse-me o anjo de Deus em sonhos: Jacó! E eu disse: Eis-me aqui.E disse ele: Levanta agora os teus olhos e vê todos os bodes que cobrem o rebanho, que são listrados, salpicados e malhados; porque tenho visto tudo o que Labão te fez.Eu sou o Deus de Betel, onde tens ungido uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te agora, sai-te desta terra e torna-te à terra da tua parentela." (Gen 31:11-13)
Está claro que o “anjo de Deus” no sonho de Jacó está, de fato, falando como o próprio Deus. Em Gênesis 32:24-30, aprendemos que Jacó também tem um encontro físico com Deus:
Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu.E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele.E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.
Jacó nos diz que este era o Deus com quem ele lutava, e essa figura tinha a aparência de um homem. A Bíblia de Estudo ESV observa: “No momento em que a disputa chega ao fim, Jacó está convencido de que seu oponente é o próprio Deus (ver v. 30). Isso não é improvável, dado que Deus já havia chegado a Abraão em forma humana (18:1-15). ”E em Gênesis 48:15-16, quando Jacó era mais velho, abençoou José e seus dois filhos:
"E abençoou a José, e disse: O Deus, em cuja presença andaram os meus pais Abraão e Isaque, o Deus que me sustentou, desde que eu nasci até este dia;O anjo que me livrou de todo o mal, abençoe estes rapazes, e seja chamado neles o meu nome, e o nome de meus pais Abraão e Isaque, e multipliquem-se como peixes, em multidão, no meio da terra." (ênfase em negrito adicionada)
É interessante que Jacó usasse o termo anjo ou mensageiro em sua descrição.


Moisés e o anjo do SENHOR - Êxodo 3:2-7

E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima.E vendo o Senhor que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui.E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.E disse o Senhor: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.” 
Aqui lemos que o anjo do Senhor assumiu a forma de chamas de fogo; esta manifestação é claramente Deus como o texto declara: “bradou Deus a ele do meio da sarça”. É nesta mesma passagem, nos versos 14 e 15, que Deus revela seu nome como YHWH a Moisés:
E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O Senhor Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração.
A Bíblia de Estudo ESV diz:
“Onde o anjo do SENHOR aparece no AT, ele é freqüentemente descrito como agindo ou falando de uma maneira que sugere que ele é mais do que simplesmente um anjo ou mensageiro e que ele é intimamente identificado com o próprio Deus (por exemplo, Gênesis 22:11-18). Aqui ele aparece a Moisés em uma chama de fogo, que é um sinal da presença de Deus através dos eventos narrados no livro de Êxodo: na coluna de fogo e nuvem que guia e protege os israelitas (Êxodo 13:21-22); nos sinais da presença de Deus no Monte Sinai (19:18); e no tabernáculo (40:38). O anjo também protege Israel quando eles saem do Egito (14: 9), e Deus promete que ele irá antes de Israel para a terra de Canaã (23:20;33:2). Em 3:4 este anjo de Deus é identificado como "o SENHOR" e "Deus".
A Bíblia de Estudo da Teologia Bíblica NVI afirma de forma semelhante:
“Como em outras partes do Antigo Testamento (por exemplo, Gn 22:11-18; Jz 13) esse caráter é intimamente identificado com o próprio Deus, refletido aqui no uso intercambiável de 'o SENHOR' (vv. 4,7) e 'Deus' (vv. 4,5,6) que se segue imediatamente. Sua manifestação em chamas de fogo forma uma forte ligação com o sinal da presença de Deus em outras partes do livro: o pilar de fogo e nuvem (13:21-22; 14:24), o fogo e a nuvem no Monte Sinai (19:18). 24:15-17) e o fogo na nuvem sobre o tabernáculo (40:38). No Mar Vermelho este anjo protege os israelitas fugitivos dos egípcios que perseguem (14:19), e presumivelmente é este mesmo anjo que Deus promete enviar à frente dos israelitas para Canaã (23:20-23; 33: 2).

O anjo de Deus e a coluna de nuvem - Êxodo 14:18-24

Em Êxodo 14:18-24, lemos:
"E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavaleiros.E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles.E ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; e a nuvem era trevas para aqueles, e para estes clareava a noite; de maneira que em toda a noite não se aproximou um do outro.Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas.E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.E os egípcios os seguiram, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar.E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o Senhor, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios."
No livro do Êxodo, vemos Deus assumindo a forma de chamas de fogo na sarça ardente, uma coluna de nuvem de dia para os israelitas, e uma coluna de fogo à noite para guiá-los. Deus também enviou “o anjo de Deus” para ir à frente de Israel em sua jornada.

A Bíblia Estudo de Teologia Bíblica NVI comenta:
14:19 anjo de Deus. Este mensageiro divino está intimamente associado com a coluna de nuvem e fogo, e assim com o próprio Senhor (13:21, veja nota em 3:2). retirou-se ... mudou-se. A descrição quase idêntica das ações do anjo e da coluna de nuvem possivelmente identifica isso como um fenômeno único, embora os diferentes verbos usados ("foi" / "ficou para trás") possam implicar duas entidades separadas; o movimento do anjo precipita o movimento da nuvem.”
Às vezes é difícil imaginar Deus sendo capaz de fazer essas coisas (estar em todos os lugares ao mesmo tempo, conhecer todas as coisas, manifestar-se no fogo e na nuvem etc.); sabemos intelectualmente que é possível, claro, porque sabemos que ele é Deus - e Ele nos informou seus atributos em sua Palavra. Deus não está limitado por limitações finitas; Ele não está limitado pelo tempo ou espaço. Ele é três-em-um, Ele pode se manifestar como quiser; estas são coisas que os seres humanos finitos não podem fazer - e estas são coisas que as mentes finitas acham difíceis de entender.
Não vou fingir saber qual pessoa da Trindade é a manifestação de fogo na sarça ardente ou a coluna de nuvem/fogo que foi à frente de Israel, e nenhum comentário que eu tenha lido afirmaria saber disso com absoluta certeza. Nós só podemos saber o que Deus revelou. O que é importante considerar é que isto é Deus habitando entre o Seu povo; Ele aproximou-se deles, foi adiante deles e lutou por eles e os protegeu para a glória de Seus santos propósitos e planos. Tudo bem se não soubermos todos os detalhes. . . A Palavra de Deus diz que podemos confiar nEle, mesmo quando não entendemos algo completamente.


Josué e o comandante do exército do SENHOR - Josué 5:13-15

E sucedeu que, estando Josué perto de Jericó, levantou os seus olhos e olhou; e eis que se pôs em pé diante dele um homem que tinha na mão uma espada nua; e chegou-se Josué a ele, e disse-lhe: És tu dos nossos, ou dos nossos inimigos?E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR. Então Josué se prostrou com o seu rosto em terra e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo?Então disse o príncipe do exército do Senhor a Josué: Descalça os sapatos de teus pés, porque o lugar em que estás é santo. E fez Josué assim.” (vs. 13-15)
Este comandante do exército do SENHOR tinha a aparência de um homem, mas foi somente depois que o homem ou a manifestação divina se identificou que Josué caiu no chão em reverência. E é essa figura que diz a Josué que o solo é sagrado, assim como o anjo do Senhor disse a Moisés em Êxodo 3.


A Bíblia de Estudo de Teologia Bíblica NVI nos lembra que o anjo do Senhor ou essas manifestações divinas usualmente apareciam antes da missão de alguém: “Como Jacó (Gênesis 32:22-32) e Moisés (Êxodo 3:1-4:17), Josué encontra a presença divina antes que ele comece sua missão ”.


O Livro de Juízes e o anjo do SENHOR - Juízes 2, 5, 6, 13

E subiu o anjo do SENHOR de Gilgal a Boquim, e disse: Do Egito vos fiz subir, e vos trouxe à terra que a vossos pais tinha jurado e disse: Nunca invalidarei a minha aliança convosco.E, quanto a vós, não fareis acordo com os moradores desta terra, antes derrubareis os seus altares; mas vós não obedecestes à minha voz. Por que fizestes isso?Assim também eu disse: Não os expulsarei de diante de vós; antes estarão como espinhos nas vossas ilhargas, e os seus deuses vos serão por laço.E sucedeu que, falando o anjo do Senhor estas palavras a todos os filhos de Israel, o povo levantou a sua voz e chorou.Por isso chamaram àquele lugar, Boquim; e sacrificaram ali ao Senhor.
(Juízes 2:1-5)
Não está claro se é uma aparição do anjo do SENHOR em Juízes 2 ou se é um mensageiro na forma de um profeta. A razão pela qual a Bíblia de Estudo de Teologia Bíblica NVI menciona a possibilidade de um profeta versus uma aparição divina é porque um profeta é mencionado em Juízes 6:7-8: “E sucedeu que, clamando os filhos de Israel ao Senhor por causa dos midianitas, enviou o Senhor um profeta aos filhos de Israel, que lhes disse...". Mas então, em Juízes 6:11, o anjo do Senhor faz uma aparência física (discutido mais abaixo).


Em Juízes 5, Débora canta uma canção poética de celebração - a vitória de Israel sobre o rei Sísera e os cananeus - e inclui uma maldição do anjo do SENHOR: “Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo do Senhor, acremente amaldiçoai aos seus moradores; porquanto não vieram ao socorro do Senhor, ao socorro do Senhor com os valorosos".

Bíblia de Estudo de Teologia Bíblica NVI explica,
"5:23 Meroz. Uma cidade israelita próxima. Essa é uma maldição por não se juntar à batalha (cf. Sukkoth e Peniel em 8:7,9,16-17). A maldição provê a transição da batalha dos reis para o rei em fuga, Sísera. Meroz não ajudou Yahweh na perseguição, mas Jael (um não-israelita) fez, e ela é "abençoada" tão fervorosamente quanto Meroz é amaldiçoado (v. 24)."

Gideão e o anjo do SENHOR - Juízes 6

Em Juízes 6:11-12 vemos o anjo do SENHOR fazer uma aparição física novamente:
Então o anjo do Senhor veio, e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o salvar dos midianitas.Então o anjo do Senhor lhe apareceu, e lhe disse: O Senhor é contigo, homem valoroso.
O anjo do SENHOR nesta passagem está em forma humana visto que o verbo sentado é usado, e Gideão confunde o anjo com um mero humano. Gideão não percebe que é Deus, já que se refere ao homem como "senhor" em minúsculas. Gideão até fica um pouco atrevido quando ele começa a reclamar que se o Senhor estivesse com eles, eles não estariam no estado em que estão. em . . . e se ele (Deus) estava com eles, onde estão todas aquelas grandes maravilhas contadas pelos antepassados (Juízes 6)? O anjo do Senhor responde a Gideão: Então o Senhor olhou para ele, e disse: Vai nesta tua força, e livrarás a Israel das mãos dos midianitas; porventura não te enviei eu?Gideão ainda não tem certeza se ele é Deus ou não e o SENHOR fala novamente em Juízes 6:16-24:
E o Senhor lhe disse: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos midianitas como se fossem um só homem.E ele disse: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu que falas comigo.Rogo-te que daqui não te apartes, até que eu volte e traga o meu presente, e o ponha perante ti. E disse: Eu esperarei até que voltes.E entrou Gideão e preparou um cabrito e pães ázimos de um efa de farinha; a carne pôs num cesto e o caldo pôs numa panela; e trouxe-lho até debaixo do carvalho, e lho ofereceu.Porém o anjo de Deus lhe disse: Toma a carne e os pães ázimos, e põe-nos sobre esta penha e derrama-lhe o caldo. E assim fez.E o anjo do Senhor estendeu a ponta do cajado, que estava na sua mão, e tocou a carne e os pães ázimos; então subiu o fogo da penha, e consumiu a carne e os pães ázimos; e o anjo do Senhor desapareceu de seus olhos.Então viu Gideão que era o anjo do SENHOR e disse: Ah, Senhor DEUS, pois vi o anjo do SENHOR face a face.Porém o Senhor lhe disse: Paz seja contigo; não temas; não morrerás.Então Gideão edificou ali um altar ao SENHOR, e chamou-lhe: O SENHOR É PAZ; e ainda até o dia de hoje está em Ofra dos abiezritas.
Jared C. Wilson, em seu blog em TheGospelCoalition.org, escreve:
“A saudação do anjo do Senhor, que pode ser o próprio Deus pré-encarnado (nos versos 14-16 o anjo do Senhor se torna 'o SENHOR'), é estranha. Você chamaria um homem escondido de “homem valente”? Você o faria se o Senhor estivesse com ele”.

Os pais de Sansão e o anjo do SENHOR - Juízes 13

Aqui está uma porção de Juízes 13, mas vale a pena ler todo o capítulo:
E havia um homem de Zorá, da tribo de Dã, cujo nome era Manoá; e sua mulher, sendo estéril, não tinha filhos.E o anjo do Senhor apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho... Então a mulher entrou, e falou a seu marido, dizendo: Um homem de Deus veio a mim, cuja aparência era semelhante a de um anjo de Deus, terribilíssima; e não lhe perguntei donde era, nem ele me disse o seu nome.Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte.Então Manoá orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus, que enviaste, ainda venha para nós outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer.E Deus ouviu a voz de Manoá; e o anjo de Deus veio outra vez à mulher, e ela estava no campo, porém não estava com ela seu marido Manoá.Apressou-se, pois, a mulher, e correu, e noticiou-o a seu marido, e disse-lhe: Eis que aquele homem que veio a mim o outro dia me apareceu.Então Manoá levantou-se, e seguiu a sua mulher, e foi àquele homem, e disse-lhe: És tu aquele homem que falou a esta mulher? E disse: Eu sou. ... Então Manoá disse ao anjo do Senhor: Ora deixa que te detenhamos, e te preparemos um cabrito.Porém o anjo do Senhor disse a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto o oferecerás ao Senhor. Porque não sabia Manoá que era o anjo do Senhor.E disse Manoá ao anjo do Senhor: Qual é o teu nome, para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos?E o anjo do Senhor lhe disse: Por que perguntas assim pelo meu nome, visto que é maravilhoso?Então Manoá tomou um cabrito e uma oferta de alimentos, e os ofereceu sobre uma penha ao Senhor: e houve-se o anjo maravilhosamente, observando-o Manoá e sua mulher.E sucedeu que, subindo a chama do altar para o céu, o anjo do Senhor subiu na chama do altar; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram em terra sobre seus rostos.E nunca mais apareceu o anjo do Senhor a Manoá, nem a sua mulher; então compreendeu Manoá que era o anjo do Senhor.E disse Manoá à sua mulher: Certamente morreremos, porquanto temos visto a Deus.Porém sua mulher lhe disse: Se o Senhor nos quisesse matar, não aceitaria da nossa mão o holocausto e a oferta de alimentos, nem nos mostraria tudo isto, nem nos deixaria ouvir tais coisas neste tempo.Depois teve esta mulher um filho, a quem pôs o nome de Sansão; e o menino cresceu, e o Senhor o abençoou.
No início da passagem, a aparição do anjo é mencionada como maravilhosa, mas seu caráter essencial ainda não foi revelado, como a Bíblia de Estudo ESV aponta. E no versículo 18 aprendemos que o nome do anjo é maravilhoso demais para ser compreendido então ele não o revela aos pais de Sansão; em Isaías 9:6 o nome do Messias é listado como “Maravilhoso Conselheiro” entre outros. O anjo do SENHOR aqui em Juízes 13, bem como no capítulo 6, realiza milagres, que são normalmente atribuídos ao próprio Deus.

Davi e o anjo do SENHOR - 2 Samuel 24:1-17

Em 2 Samuel 24, a ira do Senhor queima contra Israel e Davi deve escolher uma punição por seu pecado (embora não saibamos o pecado exato, isso envolveu falta de confiança no Senhor). Aqui está uma parte do texto que termina no versículo 17:
Levantando-se, pois, Davi pela manhã, veio a palavra do Senhor ao profeta Gade, vidente de Davi, dizendo:Vai, e dize a Davi: Assim diz o Senhor: Três coisas te ofereço; escolhe uma delas, para que ta faça.Foi, pois, Gade a Davi, e fez-lho saber; e disse-lhe: Queres que sete anos de fome te venham à tua terra; ou que por três meses fujas de teus inimigos, e eles te persigam; ou que por três dias haja peste na tua terra? Delibera agora, e vê que resposta hei de dar ao que me enviou.Então disse Davi a Gade: Estou em grande angústia; porém caiamos nas mãos do Senhor, porque muitas são as suas misericórdias; mas nas mãos dos homens não caia eu.Então enviou o Senhor a peste a Israel, desde a manhã até ao tempo determinado; e desde Dã até Berseba, morreram setenta mil homens do povo.Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para a destruir, o Senhor se arrependeu daquele mal; e disse ao anjo que fazia a destruição entre o povo: Basta, agora retira a tua mão. E o anjo do Senhor estava junto à eira de Araúna, o jebuseu.E, vendo Davi ao anjo que feria o povo, falou ao Senhor, dizendo: Eis que eu sou o que pequei, e eu que iniquamente procedi; porém estas ovelhas que fizeram? Seja, pois, a tua mão contra mim, e contra a casa de meu pai.
É difícil dizer, mas é provável que o mesmo anjo que “fazia a destruição entre o povo” estava “junto à eira de Araúna, o jebuseu;” Não está claro, porém, se Davi vê este anjo do SENHOR como o próprio SENHOR, ou se ele vê o anjo, mas ora ao SENHOR como se fossem separados. Este anjo, seja manifestação ou ser angelical, é capaz de tirar a vida, e nós sabemos que somente Deus é o doador e tomador da vida (Dt 32:39, 1 Sam. 2:6), seres angelicais e espíritos demoníacos não têm esse poder por conta própria.

[Nota: Deus não peca ou comete mal; portanto, quando os humanos fazem escolhas erradas, isso não é um reflexo de Deus, porque a escolha em si é uma rejeição de Deus. . . mas Deus pode usar o que os seres humanos pretendiam para o mal dos outros, para o bem deles e para Sua glória, mesmo que não o entendamos no momento ou nunca nesta vida. Podemos confiar que Deus é bom e soberano e tudo o que ele faz está de acordo com seu propósito sagrado.]

Sabemos que Deus permitiu que Satanás afligisse Jó e, em Gênesis 19, por exemplo, Moisés escreveu sobre os anjos (seres angelicais com aparência de homens) que visitaram Ló em Sodoma:
E feriram de cegueira os homens que estavam à porta da casa, desde o menor até ao maior, de maneira que se cansaram para achar a porta.Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar;Porque nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do Senhor, e o Senhor nos enviou a destruí-lo. - (ênfase em negrito adicionada)
Os anjos são autorizados a fazer certo trabalho, conforme decretado pelo próprio Deus. No versículo 29, Moisés reitera que foi Deus quem trouxe o julgamento: “Então, quando Deus destruiu as cidades da planície, ele se lembrou de Abraão e trouxe Ló para fora da catástrofe que derrubou as cidades onde Ló vivera”.
Angels are allowed to do certain work as it is decreed by God himself. In verse 29, Moses reiterates that it was God who brought the judgment: E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, lembrou-se Deus de Abraão, e tirou a Ló do meio da destruição, derrubando aquelas cidades em que Ló habitara.

O Profeta Zacarias e o anjo do SENHOR - Zacarias 1:7-20

Em Zacarias 1 aprendemos que a palavra do SENHOR foi revelada ao profeta Zacarias em visão; uma visão é diferente de um sonho em que o participante está acordado. Nesta visão, um anjo fala com Zacarias e Zacarias o chama de “senhor” (minúsculo), o que sugere que Zacarias não viu o anjo falando a ele como o próprio Deus, mas sim como um ser angelical. Zacarias 1:7-20 diz:
Aos vinte e quatro dias do mês undécimo (que é o mês de Sebate), no segundo ano de Dario, veio a palavra do Senhor ao profeta Zacarias, filho de Baraquias, filho de Ido, dizendo:Olhei de noite, e vi um homem montado num cavalo vermelho; e ele estava parado entre as murtas que estavam na baixada; e atrás dele estavam cavalos vermelhos, malhados e brancos.E eu disse: Senhor meu, quem são estes? E disse-me o anjo que falava comigo: Eu te mostrarei quem são estes.Então respondeu o homem que estava entre as murtas, e disse: Estes são os que o Senhor tem enviado para percorrerem a terra.E eles responderam ao anjo do Senhor, que estava entre as murtas, e disseram: Nós já percorremos a terra, e eis que toda a terra está tranqüila e quieta.Então o anjo do Senhor respondeu, e disse: Ó Senhor dos Exércitos, até quando não terás compaixão de Jerusalém, e das cidades de Judá, contra as quais estiveste irado estes setenta anos?E respondeu o Senhor ao anjo, que falava comigo, com palavras boas, palavras consoladoras.E o anjo que falava comigo disse-me: Clama, dizendo: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Com grande zelo estou zelando por Jerusalém e por Sião.E com grande indignação estou irado contra os gentios em descanso; porque eu estava pouco indignado, mas eles agravaram o mal.Portanto, assim diz o Senhor: Voltei-me para Jerusalém com misericórdia; nela será edificada a minha casa, diz o Senhor dos Exércitos, e o cordel será estendido sobre Jerusalém:Clama outra vez, dizendo: Assim diz o Senhor dos Exércitos: As minhas cidades ainda aumentarão e prosperarão; porque o Senhor ainda consolará a Sião e ainda escolherá a Jerusalém.E levantei os meus olhos, e vi, e eis quatro chifres.E eu disse ao anjo que falava comigo: Que são estes? E ele me disse: Estes são os chifres que dispersaram a Judá, a Israel e a Jerusalém.E o Senhor me mostrou quatro carpinteiros. (ênfase em negrito adicionada).
O anjo, um ser angelical, falando a Zacarias e o anjo do SENHOR estão separados na visão. Há um homem junto às murtas sobre um cavalo vermelho e mais tarde é dito que os cavalos (os cavaleiros implicados) se reportam ao anjo do SENHOR que está junto às murteiras; então o homem do cavalo vermelho e o anjo do Senhor são o mesmo; o anjo do Senhor, como na maioria dos casos que lemos, tem a aparência de um homem. O anjo do SENHOR fala diretamente ao SENHOR Todo-Poderoso (“Jeová dos exércitos” é o título usado 53 vezes para Deus em Zacarias), e o SENHOR lhe responde. A Bíblia de Estudo da Teologia Bíblica NIV afirma,
"O 'homem' do v. 8 é 'o anjo do Senhor' (v. 11), uma figura diferente do anjo interpretativo do v. 9. Ele representa Deus e fala por Deus, e ainda é distinto de Deus (cf. 3: 1,5-6)."
A Bíblia de Estudo ESV também comenta que o anjo do SENHOR intercede com o SENHOR; isso me lembra da constante intercessão de Jesus por nós agora. No entanto, ainda não recebemos uma resposta clara se o anjo do SENHOR aqui é um representante ou uma manifestação, mas sabemos que o anjo do SENHOR tem a aparência de um homem que poderia sugerir o Jesus pré-encarnado. Contudo, porque mais detalhes não são revelados, podemos inferir que não é necessário entender a distinção do anjo do SENHOR para entender o que está escrito em Zacarias e o que Deus está tentando nos ensinar em sua Palavra aqui.

O anjo do SENHOR mencionado no Novo Testamento - Atos 7

Discurso de Estevão ao Sinédrio (30-38):
E, completados quarenta anos, apareceu-lhe o anjo do Senhor no deserto do monte Sinai, numa chama de fogo no meio de uma sarça.Então Moisés, quando viu isto, se maravilhou da visão; e, aproximando-se para observar, foi-lhe dirigida a voz do Senhor,Dizendo: Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés, todo trêmulo, não ousava olhar.E disse-lhe o Senhor: Tira as alparcas dos teus pés, porque o lugar em que estás é terra santa.Tenho visto atentamente a aflição do meu povo que está no Egito, e ouvi os seus gemidos, e desci a livrá-los. Agora, pois, vem, e enviar-te-ei ao Egito.A este Moisés, ao qual haviam negado, dizendo: Quem te constituiu príncipe e juiz? a este enviou Deus como príncipe e libertador, pela mão do anjo que lhe aparecera na sarça.Foi este que os conduziu para fora, fazendo prodígios e sinais na terra do Egito, e no Mar Vermelho, e no deserto, por quarenta anos.Este é aquele Moisés que disse aos filhos de Israel: O Senhor vosso Deus vos levantará dentre vossos irmãos um profeta como eu; a ele ouvireis.Este é o que esteve entre a congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu as palavras de vida para no-las dar." (ênfase em negrito adicionada)
Aqui, Estevão fez um discurso ao Sinédrio para apontar sua rejeição ao Messias, mas seu sermão é interrompido quando o expulsaram da cidade e o apedrejaram. Estêvão começou falando de "um anjo", mas a seguir, deixou claro que era o SENHOR falando. Mais tarde no discurso, ele se referiu a Deus como “o anjo que lhe apareceu na sarça” e “o anjo que falou com ele no Monte Sinai”. Estevão está claramente dizendo que nesses casos o anjo do SENHOR e o próprio SENHOR são um.
A Bíblia diz que ninguém viu a face de Deus, geralmente significando Deus o Pai ou Deus o Espírito Santo porque sabemos que as pessoas viram o Jesus encarnado no Novo Testamento. E porque sabemos que as pessoas viram o Jesus encarnado, faz sentido que as pessoas também tenham visto o Jesus pré-encarnado. Além disso, não há exemplos na Bíblia onde o Espírito Santo seja especificamente chamado de anjo ou referido como um anjo.

Que poder e autoridade tem este anjo?

  • Em algumas passagens e contextos, o anjo é claramente identificado com o próprio Deus.
  • Este anjo tem o poder de dar vida (Gênesis 16:10), que é um poder que só Deus tem, e tirar a vida (2 Samuel 6).
  • O anjo é descrito como onisciente em Gênesis 16:13 e Êxodo 3:7, que é um atributo que só Deus tem.
  • Ele é chamado o juiz de toda a terra em Gênesis 18:25, que é um título somente para Deus.
  • Em Êxodo 23:21, diz-se que o anjo tem autoridade para perdoar pecados, o que pertencem somente a Deus.
  • Este anjo foi adorado por Moisés e Josué, e o anjo não os impediu. Em outras passagens da Bíblia, os seres angelicais impedem as pessoas de adorá-las ou dar-lhes glória quando pertencem somente a Deus.
  • O anjo tinha autoridade de um modo que nenhum outro anjo nas Escrituras tinha.
É claro que o anjo do SENHOR em muitas das passagens do Antigo Testamento é Deus manifestado, e a única parte da Trindade que foi identificada nas Escrituras como tendo carne ou a aparência de um homem é Deus o Filho, Jesus Cristo.

Answers in Genesis diz o seguinte a respeito do anjo do SENHOR no Velho Testamento:
“Ele é chamado de Deus, recebe atributos de Deus, é visto pelas pessoas, adorado e distinto do Pai e do Espírito. Então, ao invés de minar a singularidade e importância de Cristo, as teofanias afirmam a singularidade de Jesus. Elas também mostram a intimidade de Deus com a Sua criação, ao contrário do deus distante do deísmo que algumas pessoas associam incorretamente com o Deus da Bíblia. Além de fazer um estudo bíblico interessante, as aparições de Cristo no Antigo Testamento confirmam o fato de que Ele existiu antes da Encarnação, exatamente como Ele declarou claramente: “Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, EU SOU.” (João 8:58). O fato de que Jesus é o Criador também demonstra Sua existência antes de Seu primeiro advento (João 1:1-3; Colossenses 1:16) ”.

No entanto, alguns leitores e comentaristas acham confusa a terminologia “anjo do SENHOR” e se perguntam por que Moisés, inspirado pelo Espírito Santo, não teria usado uma linguagem mais clara, especialmente porque há alguns exemplos em que o anjo do SENHOR e o SENHOR parecem ser separados e outras instâncias onde a figura parece ser uma manifestação do próprio Deus. Alguns afirmam que o anjo do Senhor é ou o anjo Miguel ou Gabriel, mas Miguel e Gabriel são identificados pelos seus próprios nomes nas Escrituras e nunca são confundidos por Deus. Nós só podemos saber o que foi revelado. É por isso que cada passagem da Bíblia deve ser examinada em contexto, com a ajuda de outras passagens da Escritura.

O que podemos concluir então? Nem tudo é ou será revelado a nós durante nosso tempo na terra; Deuteronômio 29:29 declara: "As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei."

Deus é misterioso, mas deixa claro o que precisa ser esclarecido para que possamos entender o que é mais importante através do Espírito Santo que é a salvação somente em Cristo. Nós somos pecadores necessitados de um Salvador e Deus através de Seu poderoso e soberano plano deu Se si mesmo e permitiu que seu Filho vivesse uma vida perfeita em nosso lugar, morresse uma morte sacrificial em nosso lugar e ressuscitasse para assegurar nosso destino eterno - - nenhum dos quais poderíamos esperar fazer por nosso próprio mérito.

O que podemos ter certeza sobre o anjo do Senhor é que ele era e é parte do plano de Deus para a salvação da humanidade e parte do plano para restaurar o que foi quebrado; ele está associado a Deus em mais de uma ocasião nas Escrituras, e ele diz e faz coisas geralmente atribuídas a Deus na maioria das passagens onde ele é mencionado. O anjo do SENHOR também não aparece no Novo Testamento depois da encarnação de Cristo. O título “o anjo do Senhor” é usado em Atos 5 para a libertação de prisioneiros, mas isso não é o mesmo que o anjo do SENHOR(todas em maiúsculas). Assim, usando as Escrituras para interpretar as Escrituras, podemos formar uma conclusão limitada sobre quem esta figura foi e é. Sabemos com certeza em certas passagens que o anjo do Senhor é identificado com Deus, e sabemos que o anjo do Senhor se comunicava diretamente com Deus. No entanto, ainda há mistério, só podemos saber o que foi revelado na Palavra de Deus.



Fontes:


>>> LER A POSTAGEM...

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

5 Razões do porquê devemos "odiar o que é mal". (por John Piper)


É uma coisa maravilhosa que, se você acreditar e ensinar as verdades diretas da Bíblia, você poupará a si e a seus filhos de uma centena de loucuras de cada nova geração. Se você quiser ser útil para a sua geração, não precisa ser um especialista na última moda filosófica, na mais recente moralidade progressiva ou na mais recente tendência psicológica. Alguns cristãos precisam estudar essas coisas e responder a elas, mas a grande maioria dos cristãos deveria simplesmente estar marchando ao ritmo de outro baterista.

O que a maioria dos cristãos comuns precisa fazer é aprofundar-se na Bíblia e crer, absorver e ensinar o que ela significa e o que ela implica em suas declarações diretas. Se você fizer isso - se você acha que está no fundo da urdidura e da trama da Bíblia, e a deixa moldar sua mente e coração - você será poupado de muitos desvios da moda que soam tão atualizados, mas terminam em destruição de vidas.

Eu acho que você verá esta verdade funcionar se meditarmos hoje na segunda metade de Romanos 12:9. O versículo inteiro diz: "O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem". Já olhamos para as palavras: "O amor seja não fingido [seja sem hipocrisia]". Hoje nós nos concentramos nas palavras: "Abomina o que é mal; apegue-se ao que é bom". Meu ponto é: se você pensar e orar e obedecer a essa exortação direta, você (e seus filhos) serão libertos de muitas das loucuras desta era - e de todas as eras.

Vamos fazer isso juntos. Eu vejo cinco coisas para apontar. Você pode nem estar consciente dessas coisas e, no entanto, elas podem ter um efeito poderoso sobre você. Em outras palavras, você não precisa ser um pregador expositivo para ser transformado pela Bíblia. Mas ajuda tê-las apontadas de tempos em tempos e podee apressar e aprofundar o poder transformador do texto.


1. Existe algo como Bem e Mal objetivos fora de mim

Quando Paulo diz: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”, ele está rejeitando a noção de que o mal é definido pelo que eu abomino; e ele está rejeitando a noção de que o bem é definido pelo que eu defendo. Isso é tão simples e tão óbvio. Você pensaria em dizer isso para seus filhos? Talvez. Mas se você ensinar a eles versículos como esse com bastante frequência e profundidade, eles absorverão toda uma cosmovisão bíblica para seu grande bem.

Isto é, eles absorverão a visão de que existe o bem e o mal, e que o bem e o mal são realidades fora deles. O bem e o mal não dependem de nós ou dos nossos filhos para se tornarem bons ou maus. Eles são bons ou maus objetivamente. Bom não é o que você quer que seja bom. E o mal não é o que você quer que seja mal. Gostar de algo não faz bem e odiar algo não faz mal. Existe a realidade lá fora. E depois tem você. Essa realidade é boa ou má. Você não faz o bem ou o mal.

Como percebemos isso? Porque Paulo diz: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”. Em outras palavras, o bem e o mal não mudam, nós mudamos. Nossos corações podem se agarrar às coisas porque nós as desejamos, e nossos corações podem rejeitar as coisas intensamente porque nós não as desejamos. Paulo diz: Aqui está o bem e aqui está o mal. Agora traga suas emoções e sua vontade em conformidade com o que está objetivamente ali. Quando você enfrenta o mal objetivo: o odeie. E quando você enfrentar o bem objetivo, o abrace.

Agora, o que torna o bem ser bem? E o que faz o mal ser mal? Em outras palavras, como é que existe tal coisa como bem e mal objetivos? Bem, esse verso não diz. Mas não precisamos procurar muito pela resposta. Versículo 2: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. A razão pela qual existe algo como bem objetivo é que existe algo como “a vontade de Deus”. Ou, mais simples e mais profundamente, a razão pela qual existe algo tão objetivo fora de nós é que existe Deus fora de nós mesmos. E mais concretamente e especificamente, Deus se fez conhecido objetivamente e historicamente em Jesus Cristo nas Escrituras.

Se não houvesse Deus - se não houvesse Cristo - então o bem seria subjetivo, não objetivo. O bem estaria nos olhos de quem vê, especialmente o observador mais forte. Poderia dar certo. Mas Deus existe. E, portanto, não pode dar certo. O bom e verdadeiro, o certo e o belo têm fundamento objetivo em Deus e em sua auto-revelação, Jesus Cristo. O que significa que o camponês mais simples da Rússia, ou o judeu na Alemanha, ou o escravo na Geórgia, ou o prisioneiro cristão em Roma pode dizer ao mais poderoso Stalin, ou Hitler, ou dono de plantação, ou César: “Não senhor, isso está errado. E todo o seu poder não torna isso cer. Existe Deus acima de você. E, portanto, certo e errado têm a realidade objetiva à parte de vocês ”.

Oh, que presente nós damos a nossos filhos quando lhes ensinamos os ensinamentos simples e diretos da Bíblia. Suas implicações são vastas além do nosso conhecimento. Nesta frase há um mundo de preciosa verdade.


2. Ser contra o mal e a favor do bem não é suficiente; Intensidade interna é necessária

Observe os verbos de Paulo: “Aborrecei (apostungounteso mal e apegai-vos (kollömenoiao bem”. Ele não disse “seja contra o mal e escolha o bem ”. Suas palavras são muito fortes. "Aborrecei" é uma boa tradução. "Detestar:" Fique enojado com" (Léxico de Liddell e Scott) também estaria correto. “apegai-vos ao bem” significa abraçá-lo. Amá-lo. A palavra é usada para união sexual em 1 Coríntios 6:16.

Em outras palavras, Deus não está interessado principalmente em uma religião de força de vontade ou em uma moralidade de força de vontade. A escolha não é suficiente. Não sinaliza transformação moral profunda. Lembre-se do significado da hipocrisia - mudar o exterior com escolhas de força de vontade. Agora, Paulo diz: "Não apenas evite o mal, odeie o mal. Não basta escolha o bem, abrace o bem. "Ame o bem. A batalha da vida cristã é uma batalha principalmente para que nossas emoções mudem, não apenas nosso comportamento.

O que nos leva à terceira observação.


3. A Bíblia ordena que nossas emoções sejam mudadas mesmo que não tenhamos controle imediato sobre elas

Você não pode passar a abominar imediatamente o que gosta. Mas quando Paulo diz: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”, ele está ordenando que nossas emoções sejam uma coisa e não sejam a outra. Nunca caia no argumento de que Deus não exige que nossas emoções sejam de um jeito e não de outro, como se Deus só tivesse exigências para o corpo ou a vontade. Deus ordena não apenas que escolhamos o bem, mas que o amemos, e não apenas que não escolhamos mal, mas que o odiemos e detestemos.

Mas e se o seu coração está em tal condição que você ama o mal e odeia o bem? Como você vai obedecer a esse comando? A resposta é que devemos nascer de novo. Aquilo que é meramente nascido da carne ama as coisas da carne. O que é nascido do Espírito ama as coisas do Espírito (João 3: 3-7; Romanos 8: 7-8; 1 Coríntios 2: 14-16).

Ou usar termos bíblicos diferentes: a nova aliança, adquirida para nós pelo sangue de Cristo (Lucas 22:20; 1 Coríntios 11:25), deve ser cumprida em nossas vidas, se nossas emoções estiverem de acordo com a visão de Deus de bem e mal. Ezequiel 36:26: “Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês”. Deus precisa nos dar um novo coração para querermos odiar e amar como devemos. A maneira como obtemos para nós um novo coração (Ezequiel 18:31) é desistindo da auto-mudança e clamando por misericórdia de Deus em nome de Cristo para que Ele tire o coração de pedra. E quando Cristo nos dá um novo coração que começa a ver o mundo do jeito que Ele vê e sente do jeito que Ele sente, nós devemos continuar lutando pela transformação diária: “refletindo como um espelho a glória do Senhor (Jesus), somos transformados de glória em glória na mesma imagem.”(2 Coríntios 3:18).

A vida cristã não é mera escolha. É escolher com intensidade: Detestar o que é mal, abraçar o que é bom.


4. O Bem moral objetivo é bom para nós, e o mal moral objetivo é ruim para nós

Eu vejo isso principalmente na relação entre as duas metades desse verso. Primeiro, o versículo 9 diz: “O amor seja não fingido”. E então, sem iniciar uma nova sentença (no original grego), ele prossegue dizendo: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem”. O elo entre o comando de amar e o comando de abominar o mal e abraçar o bem está muito próximo. Parece que Paulo está dizendo algo essencial sobre o amor.

Todos concordam que o amor significa, ao menos, fazer pelas pessoas coisas que são boas para elas, e não ruins para elas. Então, quando Paulo diz: O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem, eu entendo que significa que será uma coisa amorosa se abominarmos o mal e abraçarmos o bem. O que significa que o que Deus chama de mal deve ser mau para as pessoas, e o que Deus chama de bem deve ser bom para as pessoas.

Não é o contrário. Nós não decidimos o que é bom para as pessoas e o que é ruim para as pessoas e então definimos o amor dessa maneira. Deus decide o que é bom e o que é ruim e nós seguimos isso e chamamos de amor, porque o que Deus diz que é bom é bom para as pessoas, e o que Deus diz que é ruim é ruim para as pessoas.

Você pode ver isso muito claramente em 1 João 5:2. João escreve: “Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos”. Como você sabe que está amando as pessoas? Amando a Deus e guardando seus mandamentos. Seus mandamentos são a expressão do bem objetivo. E suas proibições são a expressão do mal objetivo. E, portanto, o mal objetivo é ruim para as pessoas, e o bem objetivo é bom para as pessoas.

Mas vamos ser explicitamente cristãos. O bem objetivo definitivo é o Deus-Homem, o próprio Cristo. Ele é nosso bem. E assim você pode ver mais claramente que o bem objetivo definitivo é bom para nós. Nada é melhor para nós do que Cristo. Ele é infinitamente bom e infinitamente bom para nós. Nele os bens e os bens para nós se tornam perfeitamente um. Todas as outras coisas boas são boas para nós indiretamente. Elas são boas para nós porque nos levam até Ele. Somente Ele é o bem que é direta e supremamente bom para nós.

O que nos leva agora à quinta e última observação.


5. O amor genuíno deve odiar

Se houvesse um universo em que não houvesse mal algum que ferisse pessoas ou desonrasse a Cristo, haveria apenas amor e não ódio. Não haveria nada para odiar. Mas em um mundo como o nosso é necessário não apenas que amamos e odiamos, mas que nosso amor inclua o ódio.

Paulo diz: “O amor seja não fingido. Aborrecei o mal”. Um comentarista chama esse aborrecimento de “uma intensa rejeição interior”. É a rejeição. É para dentro. É intenso. E meu ponto é que neste mundo o amor tem que sentir ódio pelo mal. Como o mal magoa as pessoas e desonra a Deus, você não pode alegar amar as pessoas enquanto mima o mal.

Não cometa o erro de dizer: o mal que eu prezo só me magoa, e por isso não é desamoroso para os outros. Isso é absolutamente falso (veja 1 João 5:2 acima). Você foi feito para mostrar o valor de Cristo para os outros. Isso é o que é bom para eles. Isso é o que significa amá-los. Mas se você faz coisas a si mesmo que prejudicam seu deleite em Cristo e sua demonstração de Cristo, você peca contra os outros e não apenas a si mesmo. Você rouba o que Deus te fez para dar a eles.

Então eu digo novamente que o amor pelos outros deve odiar o mal. Porque o mal magoa os outros diretamente, e o mal magoa os outros indiretamente ao machucá-los. O mal obscurece a beleza de Cristo. E Cristo é nosso maior bem. Nossa maior alegria.


Conclusão


À medida que o Natal se aproxima e você pensa em presentes, lembre-se de um dos maiores presentes agora e para a próxima geração é acreditar e ensinar a simples e direta Palavra de Deus. “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.” Oh, que mundo de preciosa verdade há nessas palavras. E a soma de toda a verdade e todo o bem, e o triunfo sobre todo o mal é Cristo. Portanto, nesta época do advento, apegue-se a Cristo e abomine tudo o que O desonra.



Traduzido livremente de:
https://www.desiringgod.org/messages/abhor-what-is-evil-hold-fast-to-what-is-good

Autor: John Piper. © Desiring God. Website: desiringGod.org


>>> LER A POSTAGEM...

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Carta ao presidente Bolsonaro (por pastor Mauro Meister)




Caro Presidente Bolsonaro,




Escrevo sem saber se estas palavras algum dia chegarão aos seus olhos e ouvidos, mas ainda assim, a publico na esperança de que leia.




Primeiramente, parabéns. O senhor foi eleito e, acredito, a mão de Deus o levou até onde estará a partir de 1º de janeiro de 2019. Acredito assim porque a Escritura nos fala que as autoridades são ministro de Deus para fazer o bem e punir ao mau (Rm 13) e, também, é claro no livro do profeta Daniel, que é Deus quem coloca e depõe os governantes. Também porque o que vimos foi algo inédito, foi um movimento popular que o apoiou de forma tão espontânea e tão crescente. Foi impressionante ver tudo isto.

Antes de continuar, preciso esclarecer um ponto importante. Votei no senhor para a presidência da República, mas não declarei meu voto e nem fiz campanha. Isto porque queria ter a liberdade de escrever esta carta baseada nos princípios que segui, como ministro religioso que sou, sem ter influenciado partidariamente o rebanho de Cristo sobre o qual tenho responsabilidade.

Meus desejos são de prosperidade e sucesso no seu mandato. Seria para outros candidatos também, orando pela nação e pelo presidente. Mantenho o compromisso de orar frequentemente pelo senhor e pela sua equipe junto com a igreja. Me comprometo também a apoiar as justas causas que forem propostas pelo senhor e pela sua equipe, dando um voto de confiança às boas intenções de quem quer fazer o bem e punir aquele que propaga o mal, segundo a Bíblia a principal função do governo. Conte comigo como cidadão de bem que quer ver o seu bem e o bem da nação.

Dito isto, quero deixar registrados alguns temores que guardo no coração.

O primeiro deles é que, pelo fenômeno que representou sua eleição, se esqueça que foi a mão de Deus que o levou até onde está. Não é incomum que aqueles que chegam ao poder se esqueçam disso, principalmente influenciados por aqueles que estão à sua volta, lhe dando conselhos. Que o slogan da sua campanha seja verdade no seu mandato: Deus acima de todos, inclusive do Presidente da República. Que Ele infunda temor no seu coração, para que não cresça a soberba. Uma das figuras mais belas da Bíblia a respeito do governante, é que ele saiba agir como um pastor sobre o povo. E para que qualquer homem faça isto, tem que temer a Deus. Não seja um mito. Seja um homem que teme não outros homens, mas ao soberano do universo.

Outra preocupação que carrego é o que farão em seu nome e pela sua influência. Politicamente sou um liberal. Acredito no Estado mínimo, na liberdade econômica, na liberdade de consciência e religião, no direito a autodefesa. Já deixei claro que, biblicamente, o Estado deve punir o que pratica o mal e acho tolas as nossas leis e políticas públicas a respeito da criminalidade e o trato de criminosos como vitimas da sociedade. Ninguém aguenta mais essa tolices alardeadas publicamente por tantas autoridades. Avalio que seja esta umas das razões principais pelas quais a população saiu em peso para elege-lo presidente. Por outro lado, é necessário muito cuidado. O chavão “Bandido bom é bandido morto” é uma generalização perigosa. Sou, inclusive, a favor da pena capital. Porém, corremos o sério risco de usarem seu nome e ideias para o estabelecimento de violência e uso da própria maldade e crueldade. É sua responsabilidade estabelecer o tom do discurso e mostrar aos seus liderados o curso de ação legal, até mudando as leis necessárias, mas sem trazer convulsão social e violência gratuita ao meio de um povo já sofrido.

É parte clara da sua proposta combater a corrupção. Como precisamos disso! Porém, nunca esqueça que combater a “grande corrupção” não dá a quem a combate o direito a “pequenas corrupções”. As pequenas corrupções são a porta para as outras. Seja duro com os outros e consigo mesmo. Seja duro com a sua equipe e com os que estão a seu redor. Seja sóbrio com os privilégios, mesmo aqueles que são institucionalizados. O senhor bem sabe que encontrará em meio àqueles que já estão em várias posições vão lhe cercar com muitas propostas más. Rejeite-as, afaste-os. Promova campanhas para que a ética pessoal de todos os brasileiros seja elevada do patamar rasteiro no qual foi jogada por anos de descaso com o patrimônio alheio e com os direitos dos demais.

Cerque-se de homens e mulheres que amam a verdade, a justiça e a piedade. Seja humilde, inclusive nas palavras. Mantenha o respeito para com todos. Continue a rir de si mesmo, é bom para o coração. Cuide da sua casa, sua filhinha, ame-a com simplicidade e sinceridade. Gaste tempo com ela! Isso vai fazer de você um melhor presidente. Seja humilde, reconheça seus erros. Não viva de imagem, viva da verdade, com erros e acertos.


Que o Senhor te abençoe e abençoe a nossa nação.

Mauro Meister,
Marido, pai, cidadão, pastor




Extraído da página do pastor Mauro Meister no facebook.


>>> LER A POSTAGEM...

Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...