sábado, 2 de outubro de 2010

Crescimento ideal

AULA DE EBD: 11 de abril de 2010

Texto-base:
Efésios 4:1-3, 7, 12-16


Introdução
Uma das características do verdadeiro cristão é, sem dúvida alguma, o desejo de conhecer melhor a Palavra de Deus para bem servi-Lo. A Bíblia recomenda uma certa preocupação no que diz respeito ao crescimento sadio e harmonioso. Crescer tanto na graça como no conhecimento para ter condições de rejeitar as falsas doutrinas, as heresias, os exageros e viver uma vida Cristocêntrica.


ASPECTOS DO CONHECIMENTO

O conhecimento previne o homem de expor-se a muitos males (Provérbios 9.6). O conhecimento da Palavra de Deus isenta o cristão de pecar (Salmo 119.11) protege-o contra as falsas doutrinas, os falsos ensinadores e os indoutos que distorcem e interpretam as Escrituras a seu próprio modo (II Pedro 3.16). A maneira correta de se evitar tropeços e quedas é apropriar-se de conhecimentos bíblicos (I Pedro 2.2). Isso evitará que sejam envenenados por falsos ensinos ou que o próprio cristão, por sua própria ignorância faça interpretações errôneas da Bíblia e venha a sofrer as conseqüências (II Pedro 3.17). Além do conhecimento bíblico, o homem encontra outras fontes do saber que servem para o seu desenvolvimento geral. Pode-se, então, entender-se que o conhecimento humano baseia-se em quatro pilares.

Textos:
Provérbios 9.6 - Deixai os insensatos e vivei; e andai pelo caminho do entendimento.
Salmo 119:11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
II Pedro 3.16 - Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
I Pedro 2.2 - Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;
II Pedro 3.17 - Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;


Os quatro pilares do conhecimento:

Exemplos desses quatro pilares encontramos nas Sagradas Escrituras. 

Conhecimento empírico que também pode ser denominado vulgar ou prático. É o conhecimento do senso comum, espontâneo, acumulado no dia a dia, sem necessidade de se decorar regras ou aplicar cálculos, nem de se freqüentar escolas ou universidades. A Bíblia é rica nesse tipo de conhecimento. O livro de Provérbios trata desse assunto com muita propriedade. Eis um exemplo quando diz: “O que passando se mete em questão alheia é como aquele que toma um cão pelas orelhas” (Provérbios 26.17).
É um aprendizado prático que dispensa maiores explicações ou mesmo um processo de investigação, sem ordem ou método. Somente esse tipo de conhecimento empírico não seria suficiente para satisfazer as exigências de  desenvolvimento do homem na sua totalidade.

Conhecimento filosófico. No campo da filosofia estão as especulações, as idéias, as reflexões sobre os diversos temas da vida. O conhecimento filosófico tem por finalidade especular as causas universais, por assim dizer, as causas primeiras para então explicar as mais diversas situações do ser humano. Por exemplo: de onde veio o homem? Quem é Deus? Como surgiram os mundos? Com quem está a verdade? Etc. A Palavra de Deus tem respostas para todas as especulações. Ela trata de uma filosofia prática. Tomemos, por exemplo, o texto de João 8.32 que fala: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. E mais adiante no versículo 36, diz ainda: “Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. E para completar temos o conhecimento da verdade absoluta. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (João 14.6).

Conhecimento científico. A ciência compõe-se de conjunto de conhecimentos sobre fatos ou aspectos da realidade que são os aspectos de estudos, transmitidos por uma linguagem própria. O conhecimento científico visa o aprimoramento do conhecimento vulgar, transformando-o em conhecimentos experimentados, gerais, metódicos, válidos para todos em função dos seus princípios. Uma das características da verdade científica é que ela está constantemente sujeita a mutações, através dos constantes experimentos. Aí está o princípio do progresso. Veja como exemplo o automóvel. Por quantas mudanças tem passado desde que foi inventado? Porém, está sempre melhorando e continua sendo um assunto inacabado. Ao contrário das verdades científicas da Bíblia que não mudam e são sempre novas (Colossenses 1.16; Gênesis 1).

Texto:
Colossenses 1.16 - Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.


Conhecimento teológico. É o conhecimento adquirido acerca de Deus e do que se relaciona a Ele. Esse saber poder ser adquirido através de duas fontes:

a) Busca de  informações através do intelecto. 
Lendo a Bíblia ou através de um estudo sistemático sobre a mesma, pesquisando ou freqüentando cursos bíblicos. Como Daniel obteve seu conhecimento? Através de seu intelecto, através de pesquisas que fez da Palavra de Deus (Daniel 9.2).
Certa vez o apóstolo Paulo pediu a Timóteo que trouxesse seus pertences, entre eles, seus livros para estudar (II Timóteo 4.13). Se você que possuir conhecimento acerca de Deus, abra a sua Bíblia e leia, medite na Palavra. Meditar é analisar, é inquirir. Não é fazer leitura dinâmica, é se aprofundar nos textos, nos costumes, nas idéias, é estudar. É conferir com outros livros que servirão de apoio ao estudo bíblico. 

Textos:
Daniel 9.2 - No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos.
II Timóteo 4.13 - Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.


b) Busca de  informações de maneira transcendente. 
É tudo aquilo que ultrapassa o limite da experiência humana. Daniel teve conhecimento também por revelação divina (Daniel 10.12.14). Da mesma forma, Paulo também adquiriu conhecimento por revelação (II Coríntios 12.7).

Textos:
Daniel 10.12,14 - Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. 
Agora vim, para fazer-te entender o que há de acontecer ao teu povo nos derradeiros dias; porque a visão é ainda para muitos dias.
II Coríntios 12.7 - Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.


QUANDO O CRESCIMENTO É DEFORMADO
O processo de crescimento do cristão se inicia logo após a conversão.


Crescer na Graça e não Crescer no Conhecimento – Muitos crentes ficam preocupados em ouvir “profecias”, “visões”, “revelações” daqueles que se dizem usados por Deus. Tudo é espiritualizado, tudo se envolve em “mistérios”, qualquer coisa que acontece é atribuído ao maligno. Até mesmo se o crente der uma topada por não ter visto uma pedra em seu caminho. Esse tipo de crente erra como os saduceus do tempo de Jesus que faziam perguntas tolas porque não conheciam as Escrituras (Mateus 22.29). A falta de conhecimento pode ser o motivo da destruição do povo de Deus (Oséias 4.6).

Textos:
Mateus 22:29 - Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.
Oséias 4.6 - O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.


Sem a Graça, mas Com Muito Conhecimento –  Ao contrário do primeiro grupo, esse não se preocupa em crescer na graça, porém, o seu cuidado é possuir conhecimento. Com isso racionaliza tudo, não entende aquilo que é espiritual (I Coríntios 2.14; 3.1). O conhecimento é uma garantia para se crescer espiritualmente, quando se está envolvido pela graça. Sem a graça, o conhecimento se torna um instrumento somente do intelecto (II Coríntios 3.6). Muitas coisas que se conhece da Palavra de Deus só podem ser aceitas por fé e não apenas pela razão. Por exemplo, o nascimento de Jesus (Isaías 7.14; Mateus 1.18,23). Quem cresce somente no conhecimento deixa, muitas vezes, de acreditar na operação divina. 

Textos:
I Coríntios 2.14  - Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
I Coríntios 3.1 - E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo.
II Coríntios 3.6 - O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.
Isaías 7.14 - Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.
Mateus 1.18,23:
Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;
Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.


Sem a Graça e Sem Conhecimento – Esse tipo de crente é vazio, sem consistência. Fácil de ser levado por ventos de doutrinas falsas (Efésios 4.14,15). Não conhece as Escrituras. Não tem mensagem. É repetitivo e fala sem unção. Para conseguir ser ouvido por alguém, usa estratégias e técnicas a fim de provocar o emocional dos ouvintes. Mas não passa daí. Quando pensa em mudar, só consegue através da imitação porque não possui nada de si mesmo, nem de Deus. É fato que Deus usa também pessoas simples, de pouco conhecimento, mas que são cheias da graça.

Texto:
Efésios 4.14,15:
Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,


O que o conhecimento de Deus produz (Provérbios 24.5)
O conhecimento de Deus é dinâmico. Produz força e livra o crente da acomodação.

Texto:
Provérbios 24.5 - O homem sábio é forte, e o homem de conhecimento consolida a força.


Quando se conhece a Deus, experimenta-se a Sua graça, a vida passa a ter motivos.
A vida torna-se alegre, cheia de amor ao próximo, de perdão, de ânimo, de presença do Espírito Santo, de maior vigor para enfrentar as adversidades.


Quem conhece a Deus sente paz.
Mesmo nas horas mais angustiantes, o crente que conhece a Deus não entra em desespero. Ele sabe que Deus está no controle de sua vida. Ele aprende a esperar porque conhece daquilo que Deus é capaz (Salmo 30.5).

Texto:
Salmo 30.5 - Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.
  

Quem conhece a Deus tem intimidade dom Ele.
O crente pode chegar com confiança na presença de Deus porque ele tem certeza que vai ser ouvido (Tiago 4.8; Efésios 3.12). O conhecimento de Deus liberta o homem do poder do pecado (João 8.32,36) e garante-lhe a vida eterna (João 17.3).


Textos:
Tiago 4.8 - Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações.
Efésios 3.12 - No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele.
João 8.32,36: 
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres?
Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.
Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre.
Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
João 17.3 - Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.


CONCLUSÃO

É importante para o cristão estar sempre disposto a crescer na graça e no conhecimento. Crescendo na graça ele terá condições de um viver abençoado e assim poderá transmitir coisas boas ao seu próximo, enquanto vive sob a unção divina. Enquanto que o conhecimento de Deus livra o cristão da vergonha e o encoraja a ser testemunha do que tem recebido. Quanto mais se conhece a Deus, mais se quer conhecê-Lo. É como o profeta falou: “Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor.” (Oséias 6.3)

Lucas 2:52

E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens. 



Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...