domingo, 1 de maio de 2011

ESPIRITISMO - A doutrina da auto-redenção

AULA DE EBD: 11 de janeiro de 2011


OBJETIVO

Ao final desta lição, o aluno deverá conhecer os tópicos centrais do espiritismo.


A idéia deste estudo
Só por JESUS CRISTO seremos salvos do pecado.


Preparação
Esse estudo tratará do espiritismo kardecista, que difere do candomblé, da umbanda e outras religiões mediúnicas. Ela é uma mistura de ciência, filosofia e religião.


Para entender a passagem
O livro de Deuteronômio é o último do Pentateuco, e traz não somente um resumo de toda a Lei, mas também uma explicação e ampliação da vontade de Deus. Esse livro se divide em 5 discursos, e o texto que utilizaremos está inserido no 2º discurso, em que várias leis são recordadas e pode ser comparado com Deuteronômio 12:29-30 e Deuteronômio 20:16-18, alertando contra o perigo da idolatria.

O povo de Israel estava preste a entrar na terra de Canaã e essas palavras de Deuteronômio são preventivas para que tivessem uma vida boa e próspera com fidelidade, obediência e amor a Deus. Assim o povo estaria seguro sob a Graça e a Misericórdia do Senhor.


INTRODUÇÃO

Histórias de fantasmas e assombrações fazem parte do imaginário popular. A verdade é que esse ambiente de superstição é influenciado pelas histórias de fantasmas que têm suas origens tanto no catolicismo popular como na religiosidade indígena e africana que a nossa cultura assimilou. A necessidade de explicação para as histórias e fenômenos relacionados a elas foi o que fez surgir no século 19 o Espiritismo.



I. BREVE HISTÓRICO


A história do espiritismo está diretamente ligada ao francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804-1869), que usava o pseudônimo "Allan Kardec". O espiritismo surgiu neste ambiente positivista e otimista como forma da verdadeira religião da modernidade.

O espiritismo chegou ao Brasil por meio de pequenos grupos que se reuniam para o estudo das obras de Allan Kardec. Seu marco foi a fundação da Federação Espírita Brasileira em 2 de janeiro de 1884, por Augusto Ellias da Silva, que foi assessorado por Adolfo Bezerra de Menezes, médico que foi um dos grandes nomes do espiritismo brasileiro.


II. PRINCIPAIS PONTOS DOUTRINÁRIOS


A. Reencarnação

Kardec procurou na filosofia elementos para a formulação da doutrina da reencarnação em Pitágoras, representada em Sócrates e Platão. O dualismo deles determinava a matéria como inerentemente má ao passo que alma era inerentemente boa. A alma se prende a matéria, mas deseja se libertar. A doutrina espírita da reencarnação implica alguns pressupostos. Vejamos:

1. A preexistência da alma
O espiritismo postula que Deus criou todas a almas num mesmo nível e capacidade de desenvolvimento. As sucessíveis reencarnações é que possibilitarão a diferença de aptidões intelectuais e morais entre indivíduos.


2. O mundo dos espíritos
Esse mundo espiritual, segundo o espiritismo, está presente no universo criado e faz contato com o mundo material. Qualquer parte do universo pode ser habitada por espíritos mais ou menos evoluídos.


B. Mediunidade

Ao que parece é por meio de perispírito (espíritos desencarnados que vagam pelo mundo) que os espíritos se unem aos médiuns para, por meio deles, fornecer alguma revelação, comunicação com os "entes vivos" ou mesmo ditar um livro.


III. REINTERPRETAÇÕES DE DOUTRINAS BÍBLICAS


A. Deus

A concepção de Deus no espiritismo tende para o transcendentalismo, isto é, Deus está fora de alcance para a humanidade. Entre Deus e a humanidade há a necessidade de intermediário, os espíritos.

B. Jesus

Jesus Cristo é apenas um profeta, um espírito evoluído encarnado, um médium de Deus. A ele cabia a tarefa de lançar mais luz à humanidade, ensinar que a verdadeira vida não é a vida na terra, mas no “reino dos céus”, uma alusão o mundo dos espíritos, e não ao reino dos céus segundo a Bíblia.


IV. O ESPIRITISMO SOB O CRIVO DA PALAVRA DE DEUS


Apesar do esforço do espiritismo em buscar o reconhecimento de ser uma vertente do cristianismo, avaliemos suas doutrinas à luz da Bíblia.


1. Quanto à preexistência da alma

Não há na Bíblia nenhuma evidência da preexistência da alma. Em Zacarias 12:1 o profeta afirma que Deus "formou o espírito, dentro dele". Assim, a alma humana é uma criação imediata de Deus concomitante à fecundação. A criação do espírito é um ato localizado e não uma reencarnação.


2. Sobre o mundo dos espíritos

Na parábola do rico e de Lázaro (Lucas 16:19-31) Jesus demonstra uma realidade distante da doutrina espírita, isto é, a impossibilidade de trânsito das almas entre as realidades dos vivos e mortos (Lucas 16.31) nem entre os dois estados, céu e inferno (Lucas 16.26).


3. Reencarnação

O único meio de expiação está em Jesus Cristo, por meio do seu sacrifício vicário, e aplicado ao homem mediante a graça de Deus (Efésios 2:8-9). Ao homem, portanto, está ordenado morrer uma só vez, vindo, depois disto, o juízo (Hebreus 9:27).


4. Mediunidade

Deus condena a consulta aos mortos (Deuteronômio. 18:10-12; Levíticos 19:31, Levíticos 20:6, Levíticos 20.27; 2 Crônicas 33:6).


5. Sobre Deus e Jesus Cristo

Ainda que Deus seja sublime, ele está próximo, por meio de Jesus Cristo. Ele é a manifestação da glória de Deus (João 1, Hebreus 1.1-4) e é um com Deus (João 10:3) também o nosso salvador e perfeito (Efésios 1:3-14; Efésios 2.1-22; Colossenses 1.13-23).



CONCLUSÃO

A fé cristã nos ensina uma esperança confiante em Deus, para todas as áreas da nossa vida, de modo que todo o vale de lágrimas que enfrentarmos se transformará em bem para nossa salvação.


Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...