quinta-feira, 2 de junho de 2016

Um humano é mais importante que um milhão de gorilas. E todos sabemos disso. (por Matt Walsh)



Nota: Apesar da possibilidade de engano com o título, o artigo não nega o valor da vida animal, o que é autor faz é demonstrar que a vida humana é mais valiosa.

Ele não se preocupou muito em comentar sobre o possível despreparo dos funcionários do zoológico quando a prevenção ou até mesmo técnicas não-letais para conter o animal, mas faz seu julgamento perante a situação extrema e já inevitável da escolha entre a vida de um animal e a de uma criança.


Na segunda-feira eu escrevi uma coluna explicando minha posição revolucionária de que os seres humanos são mais importantes que os macacos. Eu senti a necessidade de escrever um pouco de forma elaborada sobre esta ideia provocativa depois de testemunhar a indignação nacional sobre o gorila que foi morto no jardim zoológico de Cincinnati.

Para quem não ouviu falar sobre esta tragédia histórica, uma rápida recapitulação: Uma criança caiu em um recinto ocupado por um gorila de 450 libras chamado Harambe. Funcionários do zoológico determinaram rapidamente que o gorila precisava receber um tiro, para se salvar o garoto. Esta decisão lógica e humana provocou a ira em todo o país, com pessoas fazendo vigílias, encenando protestos, assinando petições, e ventilando em mídia social que o macaco não deveria ter sido morto apenas para poupar a criança humana. "Justiça para Harambe" tornou-se o slogan marcha, enquanto milhares de almas perdidas transformaram um macaco morto em um santo e um herói.

Ativistas dos direitos dos animais e pessoas em luto se reúnem para uma vigília do Dia da Lembrança fora do Zoológico & Jardim Botânico de Cincinnati, segunda-feira, 30 maio de 2016 em Cincinnati para Harambe, o gorila morto no sábado. (AP Photo / John Minchillo)

Minha opinião, como expliquei, é que as pessoas são mais importantes do que os macacos, por isso, deve sentir-se mais alívio do que a raiva com o resultado desta situação. Na verdade, eu acredito que uma pessoa é mais valiosa do que dois macacos, ou três macacos, ou 14 macacos ou todos os macacos. Eu acredito que não há nenhuma taxa de câmbio entre as pessoas e macacos. Uma pessoa não é igual a um macaco, não é igual a 7 macacos, ou até 800 macacos. Uma pessoa é infinitamente mais valiosa.

Eu posso justificar esta posição fantástica em dois níveis. Em primeiro lugar, praticamente, os seres humanos fazem coisas que os animais não podem fazer, pensar coisas que os animais não podem pensar e realizar feitos maravilhosos do que os animais não podem executar. Mesmo o mais avançado macaco ou mais inteligente golfinho nunca vai curar uma doença, ou produzir uma grande arte, ou refletir sobre as questões do universo, ou se esforçar para ser moral, ou construir civilizações, ou amar com a profundidade que um ser humano pode amar, ou, sim, odiar com a fúria que um ser humano pode odiar. Muitas espécies têm ocupado a Terra, mas apenas uma voou ao espaço, construiu arranha-céus, desenvolveu linguagens complexas e escreveu romances e poesia, e deu luz a filósofos, médicos, engenheiros e humanitários. Animais são inferiores em todos os sentidos, e esse fato é um dos fatos mais evidentes na existência.

Em segundo lugar, espiritualmente, os seres humanos têm almas racionais e eternas. Animais não. Cristo veio e morreu para a salvação do homem, não a salvação de baratas. Ele foi encarnado como um ser humano, não como um esquilo. Isso por si só faz com que o valor de um ser humano seja eternamente maior do que a de um animal. E significa eternamente que nada irá alterar a equação. Se um ser humano é infinitamente superior a um macaco, ele é infinitamente superior a mil.

Quanto a este ponto, estou um pouco surpreso com o número de pessoas que concordam que um ser humano é superior a um macaco, mas não necessariamente a mil. Se você adota essa posição você tem que acreditar que há um número específico que pode ser alcançado quando de repente o valor dos macacos ultrapassa o humano. Mas que número seria? Um macaco não é mais importante do que o seu filho, mas uma dúzia pode ser? Duas dúzias? E como isso se traduz para outros animais? Um ser humano é igual a 24 macacos, 47 cães, ou 1.908.958.109 minhocas? Você vê o quão absurdo isso se torna? Ou os seres humanos são infinitamente mais valiosos do que qualquer e todos os animais, ou somos iguais a eles. Você realmente não pode determinar qualquer coisa que não seja isso.

Em qualquer caso, pode-se entender por que os macacos fariam objeção a esta opinião, se eles pudessem entendê-la, o que eles não podem porque são criaturas inferiores. Mas minha posição de que os seres humanos são valiosos tem provado ser uma das mais controversas até hoje, mesmo entre o meu público humano, ganhando centenas de furiosos comentários, tweets e e-mails apenas nas últimas 24 horas.
Um menino traz flores para colocar ao lado de uma estátua de um gorila fora da exposição fechada do Mundo Gorilla no zoológico & Jardim Botânico de Cincinnati, segunda-feira, 30 de maio de 2016, em Cincinnati. (AP Photo / John Minchillo)

Se você está curioso por uma amostra, você pode verificar a minha página do Twitter. Mas se você não quer ser exposto a uma onda repentina de esgoto aberto, permita-me resumir: Um monte de gente acha que eu sou um idiota, um pedaço de m*rda, escória vil, lixo humano, e assim por diante. Muitas dessas mesmas pessoas sugeriram que eu fosse morto por qualquer meio necessário. Uma pessoa propôs que eu fosse atropelado por um ônibus junto com meus filhos. Outros ficaram no tema e fantasiou sobre um grupo de macacos batendo-me até a morte. De vez em quando esses desejos de morte se pareciam bem próximos de ameaças de morte, com algumas pessoas dizendo que gostaria de fazerem as honras.

Porque eu fez comparações entre a indignação com a morte macaco e a falta de indignação com a atrocidade do aborto, muitas pessoas me garantiram que é bom fetos serem mortos, porque já existem muitas pessoas. Uma mulher disse que meu artigo a fez querer misturar uma centena de bebês mortos em um liquidificador e beber. Outra disse que a criança no zoológico merecia morrer por ser "irresponsável".

Um grande número de pessoas proclamaram com confiança que as pessoas não são mais importantes que os macacos. Alguns acham que macacos podem realmente ser superiores, considerando que os seres humanos são "vírus" e "pragas" destruindo a deusa Mãe Terra. Naturalmente, a partir da perspectiva destes leitores, nenhum ser humano é uma doença tanto quanto eu. E assim por diante. Você pega a ideia. E estes são na sua maioria os comentários públicos. Como você pode imaginar, as mensagens privadas foram ainda mais ... "coloridas".

Então, é claro - e já estava claro muito antes desta semana - que muitos seres humanos são incrivelmente, mesmo violentamente, hostis à noção de que a vida humana é sagrada. A próxima pergunta, então, é "por que?". Por que um ser humano realmente coloca a vida humana no mesmo degrau, ou em um degrau mais baixo, que a vida animal? Em nossa era narcisista, isso é surpreendente porque parece quase como uma forma extrema e equivocada de humildade. Mas quando você olha mais fundo, você vê que são precisamente o narcisismo e a covardia que levam a isso.

Antes de chegar lá, é importante notar que, apesar de como os parágrafos anteriores fazem parecer, bem poucos humanos realmente colocam animais acima das pessoas. Pelo menos não completamente, e raramente na prática. Apesar do que dizem, nenhuma das pessoas que ficaram irritadas com a minha coluna reagiriam da mesma forma a um corpo humano morto na beira da estrada como eles reagiriam a um guaxinim morto. Nenhum deles sentiria a mesma raiva ao ver uma vaca acorrentada em um celeiro que eles sentiriam ao ver um escravo acorrentado em um galpão. Nenhum deles sente o mesmo a respeito de um cara que caça veados para se divertir no fim de semana e um homem que persegue pessoas.

Quase nenhum deles hesitaria em usar ratoeiras ou spray contra baratas em suas casas se elas estivessem infestadas, mas eu estou supondo que eles nunca enxotaram um hóspede irritante pulverizando uma garrafa de Raid em sua face. Eu estou disposto a apostar que muitas dessas pessoas nem sequer são vegetarianas. E se elas são vegetarianas, eles simplesmente não sentem o mesmo a respeito do Outback Steakhouse como sentiriam caso eu abrisse uma loja no final da rua vendendo carne humana assada colhida de pessoas que eu sequestrei e matei no porão. Só um verdadeiro lunático iria ver os dois como equivalentes absolutos, e essas pessoas não são loucas, não importa como eles se apresentem.

Além disso, se qualquer um desses defensores dos direitos dos animais se encontrassem naquele recinto do gorila, você pode apostar que não estaria disposto a arriscar uma morte brutal, a fim de preservar a vida do animal em fúria. Você sabe que a causa é falsa quando ela quase não tem mártires.

No entanto, em teoria, eles reagem com indignação com a ideia de que os seres humanos são maiores do que os animais. Em teoria, eles tratam seres humanos como bens de consumo que perdem valor quando a oferta excede a demanda, mas, na prática, quase nenhum deles realmente comemoraria mais um genocídio em um país do terceiro mundo, como deveriam se desejam colocar suas teorias em prática.

Por quê?

Bem, a razão é, em parte, que as idéias "progressistas" são inerentemente irracionais e não podem ser consistentemente seguidas sem levarem rapidamente à loucura. É quase impossível viver realmente pela crença de que os seres humanos são iguais aos animais. Seria necessário, entre outras coisas, que você entrasse em colapso em uma poça de lágrimas cada vez que você visse um mosquito morto flutuando em um copo de suco ou um monte de moscas mortas presas a um pedaço de papel pega-moscas. Eu nunca vi ninguém fazer isso, mas eu ouvi muitas pessoas postular a teoria de que o mosquito e a mosca são iguais aos seres humanos em todos os sentidos que importa.

Um cartão de simpatia descansa aos pés de umauma estátua de um gorila fora da exposição fechada do Mundo Gorilla no zoológico & Jardim Botânico de Cincinnati, domingo, 29 de maio de 2016, em Cincinnati. (AP Photo / John Minchillo)

Parece que muitos em nossa cultura se agarram - de forma incompleta e abstratamente - à noção de que a vida humana não é sagrada, porque, enquanto eles não têm a loucura de colocar plenamente a ideia em prática, eles também não têm a coragem moral de aceitar plenamente a posição oposta.

Para dizer em voz alta o que eles instintivamente reconhecer como verdadeiro - que eles próprios são de alguma forma mais significativos do que um salmão ou um besouro - é escancarar a porta para uma nova filosofia e visão do mundo todo. É expor-se a perguntas difíceis, como:
Porque é que a minha vida sagrada? É porque eu sou um membro de alguma dimensão que transcende nosso mundo material? Será que é porque eu fui na verdade criado por uma força além da minha compreensão?
E se esse for o caso, isso significa que eu sou obrigado a tratar toda a vida humana com uma certa dignidade e respeito? Se a vida humana é realmente sagrada, isso não significa que ele deve ser sagrada intrinsecamente, e não por graduações? E se isso for verdade, não significa que a vida humana deve ser protegida, mesmo em seus estágios iniciais? Isso torna o aborto maligno?
Espere, isso significa que não existe tal coisa como o mal? Isso significa que eu tenho que começar a agir de acordo com algum código objetivo que não está calibrado ou ajustado de acordo com os meus desejos e caprichos?
Ah não. Funções. Responsabilidades. Absolutos morais. Deus. Virtude. Mal. Pecado. Existe realmente algo para todo essas coisas?

O progressista agora está caindo de um penhasco, e o mergulho será terrível e desorientador. Se eles se permitirem atingir o chão, eles vão descobrir que eles estavam errados sobre praticamente tudo, e agora todo o seu estilo de vida deve mudar, e ele deve mudar de acordo com a verdade que está fora do seu próprio controle.

Poucos estão dispostos a fazer aquela viagem por todo o caminho até o fundo. Fora do egoísmo e do medo, eles se agarram o que podem e se agarram desesperadamente às suas meias-verdades e suas fantasias, sabendo muito bem que eles só podem manter a sua visão de mundo, se eles se recusarem a pensar muito sobre isso. Então, eles atacam a pessoas que sugerem que a vida humana é sagrada, não para se envolverem em uma discussão sobre o ponto, mas para encerrar a discussão antes que isso ameace enviá-los iludidos de volta ao buraco de coelho. Isso é o que passa-se por debate em nossa cultura.

É por isso que o nosso trabalho, como aqueles que reconhecem estas verdades fundamentais, deve ser de arrastar essas pessoas, que chutam e gritam, de volta para o buraco do coelho e jogá-las para ele, contra a sua vontade, se necessário. E devemos estar preparados para a reação quando o fazemos. Pode ser surpreendente, mas pelo menos permite-nos saber que estamos no caminho certo.



Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...