domingo, 31 de dezembro de 2017

"Se DEUS quiser"


Ouçam agora, vocês que dizem:
"Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro".
Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.
Ao invés disso, deveriam dizer:
"Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo".
Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões. Toda vanglória como essa é maligna.
Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado.

(Tiago 4:13-17)
Erramos, constantemente, nos esquecendo dessa recomendação de Tiago.
Muitas vezes fazemos planos, nos vemos realizando coisas, criamos pretensões detalhadas sobre um futuro que sequer temos acesso nem conhecimento.
Às vezes lembramos de dizer "se Deus quiser", mas fazendo de forma automática, porque é algo que nossa cultura absorveu e (ainda) não abandonou, sem reflexão sobre o que isso significa. Ou então como se dizer isso tivesse em si algum poder especial, como se a 'confissão positiva' trouxesse Deus para o nosso lado.
Alguns fazem pior, respondendo ao "se Deus quiser" com algo do tipo "e Ele quer". O que geralmente expressa uma boa intenção da pessoa para com seu próximo, mas que ignora o fato de que não sabemos plenamente qual o propósito de Deus em cada passo das nossas vidas (Deuteronômio 29:29).

Tiago não estava "cobrando" um ato religioso mecânico nem o uso da frase como uma mera afirmação otimista ou que "atraia o favor divino".

Apesar de apresentar uma forte base para a defesa teológica da vontade decretiva de Deus que rege todas as coisas, a ideia principal do texto é nos exortar, ao demonstrar que nossas vidas neste mundo são passageiras. Somos como neblina que dura algum tempo e some. Somos limitados.

Em contraste a isso, DEUS é o Senhor do Tempo. Não muda. É Eterno.
Mais do que isso, Ele detém todo o conhecimento, portanto o futuro que nós sequer imaginamos já está todo determinado em Sua mente.

Contudo o que Tiago nos mostra não é que a ignorância quanto ao futuro deva nos levar a abandonar qualquer planejamento e 'deixar a vida nos levar'. Isso porque não cremos em um destino cego movido pelo acaso, cremos no Deus que está no controle de tudo. 
Tiago não condena os desejos quanto ao futuro, mas sim o sentimento de auto-suficiência, dando um exemplo de algo que facilmente é identificado como fora de nosso alcance. Ele está nos lembrando de que, apesar de nossos anseios e obras, cabe a Deus concretizar aquilo, se isso for parte de Seu propósito.

O salmista traz uma ideia semelhante no Salmo 127, demonstrando que o esforço humano tem sua importância, mas se Deus não quiser ele nunca será o suficiente. 

Além disso, o sábio nos diz em Provérbios que há caminhos que nos parecem retos mas que conduzem à morte (16:25), que o homem planeja seu caminho mas o é o Senhor que determina seus passos (16:9; 20:24).
Os profetas nos lembram que o coração é mais enganoso que qualquer outra coisa (Jeremias 17:9) e que os planos do Senhor são superiores aos nossos (Isaías 55:9).

Em Romanos 8:28, o apóstolo nos mostra que tudo coopera para o bem dos que amam a Deus. E isso inclui o que não condiz com o que esperávamos, até os 'males' que sofremos.
A história de Jó nos serve de exemplo, e o próprio reconhece que a soberania de Deus é justa. "Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal? (...)" (Jó 2:10).
O mesmo reconhecimento estava presente no coração de José, após seus anos de sofrimento e depois ascensão a uma posição tão elevada: "Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem(...)" (Gênesis 50:20).

Sabendo que a totalidade das Escrituras reflete a revelação divina, temos nela, portanto, a História por Ele determinada. E essa História prosseguirá até o fim deste mundo e uma vida gloriosa e eterna para Seu povo.

Tendo isso em mente, reconheça sempre o senhorio de Cristo em seus pensamentos, coloque DEUS em seus planos. Não como um mero acessório, mas como Aquele que deve ser glorificado em tudo que fizermos (I Coríntios 10:31), e Dono do tempo, Senhor das circunstâncias (Provérbios 16:33).
Lembrando que não somente o futuro distante, mas o seu próximo suspiro depende dEle: ‘Pois nEle vivemos, nos movemos e existimos’ (...) (Atos 17:28). 

Que essa confiança nos leve a deixar de lado também o medo pelo futuro (Mateus 6:34) e que busquemos a cada dia nos render à Sua Vontade.
Pois dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.
A Ele seja a glória para sempre!
Amém.
(Romanos 11:36)


Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...