quinta-feira, 24 de julho de 2008

Música do capeta? (resuminho)


Segundo um sujeito que se auto-denominava “Maluco Beleza” (que por sinal tem algumas boas músicas), o diabo é o pai do Rock...

Sendo assim o Rock deve ser irmão na novo da mentira, e nem tinha sido registrado quando a bíblia foi escrita (...), mas isso é o de menos, o estranho é o fato dessas palavras do maluco serem tidas como “a verdade” por tanta gente.

É engraçado como as pessoas adoram puxar sardinha para o que lhes interessa, quero dizer, se o Zeca Pagodinho dissesse que o pagode é criação do diabo então os cristãos diriam a mesma coisa? Poderia acontecer com o Bob Marley em relação ao Reggae, com o Mozart e a música clássica, mas será que a reação seria a mesma?

Mas porque o rock é visto desta forma? É à toa? Claro que não. Há muitas coisas no rock que acabam contribuindo para essa fama “obscura”.

O rock por si só passa uma imagem de rebeldia, e os diversos personagens “mitológicos” que participaram e participam de sua história realmente colaboram para que o rock AINDA seja marginalizado.

A história do rock começa com influências do blues e da música gospel, havendo então diversas misturas a partir de sua criação. O rock se desenvolveu, criando então subgrupos, caracterizados como estilos musicais dentro do próprio rock. Dentre eles temos heavy metal, hard rock, pop rock, hardcore, punk, emocore (....), entre muitos outros. Com o tempo esses grupos se subdividiram ainda mais, mas isso não vem ao caso no momento..

Na história do rock surgiram ícones que chamaram a atenção do mundo por sua obscuridade, rebeldia e até profanações.

São diversas pessoas, mas entre eles podemos citar a banda Sex Pistols (que foi até proibida de tocar em solo inglês), Ozzy (que entre outras coisas mordeu um morcego – mas cantava muito!!!, rs), Slayer (com suas letras contra religião), além de tantos outros acusados de ocultismo e atitudes "anti-cristãs"..

Com figuras como estas em destaque, os conservadores resolveram atacar com tudo, dizendo que o rock não presta e que é coisa maligna.. Ou seja, uma generalização absurda..
Seria o mesmo que eu dizer: “Todo pastor é ladrão” ou “Evangélico não tem cérebro”. Ou seja, seria uma generalização errônea, apesar do grande número de casos que pudessem servir de exemplo para o meu comentário.

Atribuíram-se então vários casos de mortes, suicídios e fatos bizarros ao rock. (veja bem, eu disse ao rock e não a quem os cometeu). Diziam que o rock influenciava as pessoas a fazer o mal.

Mas eu me pergunto, o que é o rock?

(...)

Pelo que sei é um estilo musical.
Sendo assim, a mensagem que ele passa não pode estar intrínseca ao que ele é, um estilo. Por exemplo, uma música com letra “bíblica”, pode passar uma mensagem demoníaca devido unicamente ao seu ritmo? (...)
Eu acho que não..

Resumindo, independente do ritmo utilizado, a música por si só não pode manipular as pessoas a fazer qualquer coisa, mas a mensagem que ela traz é que poderá.. (Claro, manipular apenas os que se deixam manipular). Então independe de ser rock, reggae, rap, funk, etc., a mensagem está contida na letra, portanto é ela que deve ser observada com mais cuidado (caso você ache que pode ser influenciado ou algo do tipo).

E para quem curte rock, seguem algumas bandas que indico:

- Helloween, - Oficina G3, - Rodox, - Blind Guardian, - Stratovarius, - X-Japan, - Rob Rock, entre outras...

Futuramente colocarei algumas letras interessantes de bandas de rock para que percebam o equívoco que é generalizar. E digo isso em relação a qualquer coisa..


FL Batista Blogger Web disse...

bem discernido o tema Rock. as unicas preocupações que tenho são as de que ritmos muito populares ao ser usados na igreja transforme nossos cultos e reuniões tão somente em momentos de entretenimento, esquecendo-se da adoração e reverencia. E uma outra procupação é que muitos ao aderir podem misturar os bons ensinamentos de CRISTO com os duvidosos (para o bem ou mal) de seus idolos, não mais , tudo bem...

Barrabás disse...

Sem dúvidas, Fábio..
O culto a Deus é a Deus.. ;)

Nice x) disse...

Ótimo post, mas para quem quiser se aprofundar mais nesse assunto recomendo que baixem o livro "O Cristão e a Música Rock" de Samuele Bacchiocchi.
Link: http://www.musicaeadoracao.com.br/livros/rock/

Para quem quer conhecer algumas bandas: Resgate, Flyleaf, The Devil Wears Prada, Leeland, Thousand Foot Krutch, Emery, Oficina G3, Skillet, Disciple, Jars of Clay, 12 Stones, VOZ DA VERDADE (sim, eles tem algumas musicas bem agitadas), Fireflight, BarlowGirl, Becoming the Archetype, Family Force 5, Elvis Presley, P.O.D., Underoath, Superchic[k], Stellar Kart, Casting Crowns, As Cities Burn, Spoken, Alessa, Kids in the Way, Metal Nobre, Stryper, Demon Hunter, Maylene and the Sons of Disaster, Militantes, August Burns Red, Texas in July, Building 429, Capital Lights, Soul Embraced, Third Day, Stria, As I Lay Dying, Katsbarnea, mewithoutYou, Chasing Victory, Menahem entre outras milhares. Abraços

Barrabás disse...

Caramba, Nice.. Boa parte dessa lista eu nem conheço.. rs

Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...