domingo, 3 de abril de 2011

Meu Amado Mundo (Daniel Clós)


Por Daniel Clós Cesar

Por que aqueles que aparentemente nasceram de novo ainda desejam o mesmo que aqueles que ainda estão mortos? Por que razão os desejos dos homens e mulheres aparentemente salvos em nada diferem dos desejos dos que rejeitam o Evangelho? 
Nossos desejos (vou me incluir... não por ser modesto, mas por ser pecador), no geral, em nada diferem dos desejos de homens e mulheres carnais sem esperança num Deus Criador e Juiz. Desejamos coisas "boas" aos nossos olhos. Desejamos aquilo que nossa cultura afirma ser bom, independente do que Deus pensa a respeito. Afinal de contas, nós, os servos mandões, temos "autoridade" para ditar nosso caminhar. 
Não sou um homem de grande experiência na vida cristã... comparado a outros miseráveis homens carentes da diária misericórdia de Deus, não passo de um menino miserável carente dessa mesma misericórdia. Mas estou há 30 nesse meio conhecido como evangélico. E em todos esses anos, foram poucos os que conheci que desejavam mais ardentemente as coisas do alto que as deste mundo. 
Um exemplo bem prático: moças e rapazes fazem um único pedido a Deus. "Permita-me casar antes da tua volta". Seria mais sincero dizer: "permita-me ter uma relação sexual antes que você volte". É obvio... mas devido as infinitas profetadas... todos acreditam que irão casar com a pessoa mais fantástica do mundo... todos acham que Deus preparou desde a eternidade a outra metade da laranja... mas talvez você nem mesmo seja uma laranja. 
Elas amam o mundo. As pessoas que elas amam estão aqui... não importa se vivas ou enterradas, é nesse pedaço de terra que elas estão. É aqui que está construída minha casa... fruto do "meu" esforço. É aqui que está o "meu" carro... conquista das minhas dores... 
Se os cristãos do primeiro século abriram mão de tudo esperando a volta imediata de Cristo... nós, juntamos tudo não desejando a volta de Cristo nunca, que ela fique para depois... depois que eu morrer e não tiver mais nada a "perder". 
A felicidade do homem carnal está aqui. Deus, aquele que deveria ser desejado é apenas um mordomo. Alguém que tem o poder que eu não tenho para fazer aquilo que eu quero, como eu quero, na hora que eu quero... aí sim Ele é Deus. Isto incluí... sempre incluí... uma vida em plenitude de tudo que eu imagino ser bom, nesta terra. 
Se nossa felicidade não estiver em Cristo... onde ela está? 
Isso não é ser cristão. Isso não é um nascido em Cristo. Os que assim pensam e vivem não passam de perdidos sem a compreensão do Evangelho. Não entendenderam o que foi a Cruz. Têm os olhos tão fechados que a escuridão é como se fosse a própria luz. 
Esse é o fiel retrato de uma igreja apóstata, pessoas carnais que entulham bancos aos domingos como se participassem de um atendimento psicológico em grupo. Eles cantam, danças e dizem "Senhor! Senhor""... 
Mas o Senhor não os conhece. 
Amam o mundo... e o mundo já não mais as odeia... porque elas pertencem a ele. 
"Se vós fósseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia." João 15.19 
Maranata Jesus!

***
Daniel Clós Cesar é professor de história, desenhista e colunista no Púlpito Cristão


Extraído de: 
http://www.pulpitocristao.com/2011/03/meu-amado-mundo.html 

Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...