quinta-feira, 11 de abril de 2013

Religião e Política não se Misturam! (por Robert L. Thoburn) Parte 03 de 03


Extraído de:  Monergismo.com

Vi a influência da abordagem liberal quando servi no poder legislativo. Tínhamos 2.000 projetos de lei e resoluções diante da Assembléia Geral de Virgínia, para considerar numa típica sessão de oito semanas. A eficácia de um legislador é julgada pelo número de projetos que ele pode introduzir e decretar como lei. Éramos apenas homens mortais, mas tínhamos sido chamados para legislar em cada área concebível da vida. Quando o homem começa a brincar de deus, ele deve controlar tudo. Pastores e gatos são os únicos que não são licenciados em Virgínia agora. Os pastores propõem muito barulho e os políticos já não sabem como regulamentar os gatos.

A atração liberal por construir o reino de Deus sobre a terra pode ser vista no nível Federal do governo. Naturalmente, os liberais gostam de um controle mais central em Washington. Um exemplo de esforços liberais para salvar o homem foi a "guerra contra a pobreza". O OEO (Office of Economic Opportunity - Departamento de Oportunidade Econômica) foi estabelecido para lutar a Guerra. Foram tantos os sacerdotes liberais que trabalharam ali que o mesmo recebeu o apelido de Departamento de Oportunidade Eclesiástica. O clero liberal descobriu que podia promover os mesmos programas que tinham em suas igrejas por meio do governo, e isso de uma forma muito barata (para eles, não para nós).

Antes de abandonar o assunto dos liberais, deixe-me dizer algo sobre a palavra "liberal". Ela vem da palavra latina que significa liberdade. O liberal clássico era alguém que cria na liberdade. O liberal teológico e político crê no oposto. Ele não deseja deixar o homem livre para desenvolver seu chamado sujeito a Deus. Ele quer escravizar o homem por meio de um governo grande, impostos altos e maior regulamentação. Os líderes liberais religiosos criam Concílios Nacionais e Mundiais de Igrejas porque querem a unidade a custa da verdade. Eles querem uma única igreja mundial e estão na frente trabalhando por um único governo mundial. Isso é a Torre de Babel revisitada.

Mais uma coisa que quero apontar sobre os "liberais" é que eles não são generosos. Pelo menos não o são com o dinheiro deles. Eles querem ser liberais com o dinheiro dos outros. Estava presente numa audiência do Fairfax County Board of Supervisors vários anos atrás, quando o assunto da habitação pública para os pobres estava na agenda.
Testemunhei uma longa parada de pastores liberais implorando para que os supervisores conseguissem dinheiro para os pobres.

Esse clero estava muito preocupado com os pobres. Citaram versículos da Bíblia. Quando me levantei para falar, lembrei-lhes de outra pessoa que fingia estar muito preocupada com os pobres. Seu nome era Judas Iscariotes. Compartilhei também minha experiência enquanto vivi num daqueles paraísos sobre a terra, um projeto de habitação do governo. Sugeri que se eles estavam tão preocupados com os pobres, então deveriam pegar dinheiro do caixa dos seus diáconos.
Era esperar muito da generosidade liberal.

A apropriação da palavra "liberal" por aqueles que se opõem à liberdade deveria ser uma lição para nós. Palavras são armas poderosas.
Precisamos usá-las na batalha do Senhor. Agora que tantos americanos estão cientes dos programas reais dos liberais, e visto que tais programas foram fracassos óbvios, os políticos não se nomeiam mais como "liberais". Eles preferem ser chamados de "moderados" e alguns até mesmo de "conservadores". Talvez seja porque queiram conservar o status quo liberal.

Algumas páginas atrás declarei que de um lado muitas igrejas e pastores se apartaram da fé. Vejamos agora o que aconteceu do outro lado. Onde estiveram os cristãos que crêem na Bíblia durante todo esse tempo? Afinal, ainda há dezenas de milhões nessa terra que não se ajoelharam diante de Baal. Eles têm estado dormindo. Durante meu segundo ano na Assembléia Geral conseguimos aprovar um projeto de lei, através da Casa dos Delegados, para isentar as creches de igrejas de licenças do Estado e retornar o controle dessa área aos pais. O intermediário do Conselho Liberal de Igrejas de Virgínia me confidenciou: "Você nos pegou dormindo". Os conservadores têm estado dormindo por todos esses anos. Por décadas estão num sono de Rip van Winkle.3 Agora estão acordando. Esse gigante dormente está sendo despertado e já era hora.

Os cristãos conservadores têm estado muito ocupados pregando o evangelho, enviando missionários e salvando almas. Isso é louvável. Eles têm estado bem preocupados com o evangelho pessoal. Estão preparando pessoas para o mundo vindouro. Mas não devemos esquecer que esse mundo, também, é habitação do homem. A Bíblia fala dessa vida bem como da vindoura. O evangelho pessoal tem implicações sociais. Os liberais avançam com tanto sucesso porque há um vácuo. A religião afeta a política. Se quisermos viver sob um governo piedoso na terra, então devemos entender como a fé bíblica se aplica ao governo civil. Nos capítulos seguintes, tentarei fazer isso.




Fonte: Capítulo 1 do livro The Christian and Politics, Robert L. Thoburn.



Extraído de: 


Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...