quarta-feira, 10 de abril de 2013

Religião e Política não se Misturam! (por Robert L. Thoburn) Parte 02 de 03



Extraído de:  Monergismo.com


A razão pela qual estamos testemunhando essa profunda mudança em nosso governo é que política e religião se misturam. Uma mudança religiosa tem acontecido em nosso país. De um lado, muitas igrejas e pastores têm se apartado da fé bíblica. Eles têm apoiado uma nova fé chamada Liberalismo. Os teólogos liberais negam os fundamentos da fé cristã. Negam a infalibilidade da Bíblia, a divindade de Cristo, o seu nascimento virginal e ressurreição corporal. Os liberais crêem que o homem pode salvar a si mesmo por meio das suas boas obras.

Em sua obra clássica, Cristianismo e Liberalismo, J. Gresham Machen mostra que o Liberalismo não é Cristianismo. Ele é outra religião. Por ser outra religião, encoraja uma cosmovisão política diferente. O liberal na religião provavelmente será liberal na política.
Visto não crer na infalibilidade da Bíblia, o liberal encontra a infalibilidade no homem. Assim, ele termina com o Estado como infalível. Assim como o cristão apela à Palavra de Deus como sua autoridade final, o liberal apela ao Estado como a regra autoritativa.

Visto que o liberal nega que Jesus Cristo é a encarnação de Deus, ele descobre um novo deus para adorar. Esse deus é o homem. O homem em sua forma mais poderosa sobre a terra é o Estado. Assim, o homem coletivo, o Estado, torna-se seu deus. O liberalismo teológico existe há muito tempo, mas sua forma moderna foi importada da Alemanha. Uma visão destrutiva da Bíblia conhecida como Alta Crítica desenvolveu-se na Alemanha. Com o questionamento da Bíblia veio o enfraquecimento do Cristianismo bíblico.

Negando as doutrinas da Reforma que começaram na Alemanha do século dezesseis, liberais tais como Adolph Harnack enfatizavam a Parternidade universal de Deus e sua conseqüência, a Irmandade universal dos homens. Schleiermacher ensinava que a religião é um "sentimento de dependência". (Alguém sugeriu que nesse caso um cachorro teria a melhor religião). Os filósofos alemães fizeram sua parte também. Kant e Hegel foram os principais.

Marx e Engels, autores do The Communist Manifesto [O Manifesto Comunista], foram influenciados por Hegel bem como por teólogos alemães, Ludwig Feuerbach (que disse que a essência do Cristianismo é o amor), David Strauss e os irmãos Baur. Hegel disse que o Estado é Deus andando sobre a terra. Marx veio de uma família religiosa. Seus ancestrais, de ambos os lados da família, tinham sido rabinos por gerações. O Marxismo é a adoração do Estado como Deus. Não é surpresa que a Bíblia não podia ser impressa na União Soviética.

Estudantes da América iam para a Alemanha para se graduarem e voltaram para ensinar nas universidades e seminários. Eles voltavam sob o encanto do liberalismo de lá e começavam a ensiná-lo às gerações de estudantes e pastores dos Estados Unidos. Por sua vez, os pastores passavam isso para as suas congregações, de forma que numa questão de décadas as igrejas tinham sido mudadas. O Liberalismo capturou a maioria das principais denominações Protestantes.

Os liberais estavam no controle da maioria dos seminários e igrejas na década de 1920 e 1930. Os Presbiterianos expulsaram Charles Augustus Briggs na virada do século vinte porque ele não cria na Bíblia.
Na década de 1930, eles estavam expulsando o melhor erudito em Novo Testamento que tinham, J. Gresham Machen, pois ele cria na Bíblia. Quando os liberais estavam em minoria, clamavam: "Tolerem-nos".
Quando conseguiram o poder, tornaram-se intolerantes para com aqueles que criam nas próprias coisas que supostamente a igreja deveria defender. Esperar o contrário era esperar muito de uma ética liberal.

Visto que os sacerdotes liberais não criam num céu ou inferno, começaram a desenvolver sua idéia de céu sobre a terra. Eles não criam no Deus Triúno, de forma que seu deus se tornou o homem. Visto que Jesus foi somente um grande mestre e não era divino, ele não poderia salvar ninguém. O homem deve salvar-se pelas boas obras. O liberal negava o pecado original, de forma que o problema do homem não era o seu pecado. Era o seu meio ambiente.

O liberal dedicou-se a mudar o meio ambiente do homem. Isso foi feito através de esforços do Estado, o homem em sua forma mais poderosa. Esse é o porquê os liberais pregavam o evangelho social. Visto que os liberais negavam a criação e sustentavam a evolução, eles olhavam para o homem como um animal a ser manipulado e controlado.
A teologia liberal leva à política liberal. Esse é o porquê temos tantas leis agora. Temos milhões de leis que estão mudando constantemente. Se seguíssemos os Dez Mandamentos e as outras leis da Bíblia, não precisaríamos de todas essas leis.



Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...