quarta-feira, 15 de maio de 2013

Por quem Cristo morreu? (Rev. Angus Stewart) - parte 03 de 04



Extraído de: Bereianos

13. A Morte de Cristo Verdadeiramente Salva.

Se o Senhor Jesus morreu por absolutamente todos, então porque todos não são efetivamente salvos? O capítulo 6 de Romanos deixa claro que aqueles que estão unidos a Cristo em Sua morte, estão mortos para o pecado (v6, 7) "vivos para Deus" - v11 - e serão ressuscitados fisicamente para a glória (v5). Mas muitos passam todos os seus dias "mortos em suas transgressões e pecados" - Ef 2v1 - e ressuscitarão na "ressurreição da condenação" [3] - Jo 5v29. Só podemos concluir que eles não estavam unidos a Cristo em Sua morte, ou seja, Ele não morreu por eles; pois se os réprobos estivessem unidos ao Filho de Deus em Sua morte, ou seja, se Ele morreu por eles, eles morreriam para o pecado e viveriam para Deus (v. Rm 14v9; 2 Co 5v14, 15).

A Escritura ensina que tanto a fé (v. Ef 2v8-9; Fl 1v29) quanto o arrependimento (v. At 5v31; 11v18; 2 Tm 2v25) são dons da graça de Deus. Fé e arrependimento são exemplos das "bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo" - Ef 1v3. As bênçãos de Deus em Cristo vêm através da cruz (v. Rm 8v32; Gl 3v13, 14). Mas "a fé não é de todos" - 2 Ts 3v2 - nem todos se arrependem (v. Ap 16v11). Logo, a fé e o arrependimento não foram adquiridos na cruz para todos, cabeça por cabeça, portanto o Salvador não morreu por todos.

Tito, capítulo 2 versículo 14, explica que o propósito do Filho em Sua redenção na cruz é a santificação do seu próprio "povo, particularmente seu" que seria purificado e "dedicado à prática de boas obras". Mas muitos morrem sem arrependimento e são "imundos" - Ap 22v11 - por causa de seus "atos de impiedade" - Jd 15. Uma vez que o propósito do Deus onipotente permanece para sempre (v. Rm 9v11) e jamais é resistido (v. 2 Cr 20v6), não foi o propósito do Senhor santificar e redimir os réprobos através da cruz. Portanto, Cristo não morreu por eles.

14. O Capítulo Dez de João Ensina a Redenção Particular.

Em João, capítulo dez, Jesus ensina que Ele, o bom pastor, morreu por suas ovelhas: "Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas" - v11 - "eu dou a minha vida pelas ovelhas" - v15. Assim como todo pastor terreno têm "suas [próprias] ovelhas" - v3, [4] - Cristo se refere a seu rebanho ou "aprisco" - v16 - como "minhas ovelhas" - v14, 26, 27. Mais tarde, o Senhor disse a algumas pessoas que elas não eram suas ovelhas e que este era o motivo pelo qual elas não acreditavam: "Mas vocês não creem, porque não são minhas ovelhas" - v26.

O argumento é simples: Jesus morreu por suas ovelhas (v11, 15), sabendo exatamente quem elas eram (v14, 26, 27); Ele disse a certas pessoas que elas não eram suas ovelhas (v26); portanto, Ele não morreu por elas. O Senhor também disse que Suas ovelhas foram dadas à ele por Seu pai (v29). O Pai deu as ovelhas para o Filho em Seu propósito eterno de eleição, para que no devido tempo Ele morresse por elas e arrebanhasse as ovelhas de todas as nações (v16). Uma vez que Cristo morreu por suas ovelhas - e algumas não são suas ovelhas - e as Suas ovelhas são os eleitos, Cristo morreu somente pelos eleitos.

15. O Capítulo Dezessete de João Ensina a Redenção Particular.

Em Sua oração sumo sacerdotal em João 17, Jesus afirma: "Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus" - v9. O "mundo" aqui é o mundo dos réprobos, ou não-eleitos, por quem o Filho de Deus encarnado não intercede, ao contrário dos eleitos - "os que me deste".

Se o Senhor não realizou nem a menor ação - rogar pelo mundo réprobo -, será que ele realmente realizou a maior ação - morrer pelo mundo réprobo? A intercessão é um dos dois principais aspectos da obra sacerdotal de Cristo. Se Jesus não rogou pelo mundo - um aspecto da Sua obra sacerdotal -, é possível que Ele tenha morrido - o outro aspecto de sua obra sacerdotal - pelo mundo? Isso destruiria a unidade do sacerdócio de Cristo, pois Ele estaria morrendo por aqueles por quem Ele não intercedeu e nem intercede. Além disso, o Salvador intercede com base em Sua obra consumada da redenção (v. Is 53v12; Rm 8v34; Hb 7v25-27; 9v24-26). Portanto, se Ele não rogou pelo mundo, é porque Ele não morreu pelo mundo.

Em João 17, Jesus está orando há poucas horas antes da crucificação consciente de Sua morte sacrificial, pois Ele diz: "Pai, chegou a hora" - v1. Portanto, ao longo de João 17, a oração de Cristo e Sua obra redentora são particulares, apenas pelos eleitos, aqueles que o Pai Lhe deu (v2, 6, 9, 11, 12, 24). As orações de Nosso Senhor para que o Pai mantivesse (v11-16), santificasse (v17-19) unisse (v20-23) e glorificasse (v24-26) "a todos os que Lhe deste" -v 2 - são poderosamente respondidas, pois nos é concedido a "vida eterna" - v2, 3.

Jesus diz: "Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados" - v19. A auto santificação de Cristo é Sua auto consagração e dedicação para fazer a vontade d'Aquele que O enviou. Nosso Senhor se separou de forma especial como o sacrifício voluntário na cruz por nós. Isso, Ele nos diz, foi "em favor deles", por aqueles que o Pai deu à Ele, os eleitos. Logo, as orações de Cristo e Seu sacrifício não são apenas particulares "por aqueles que me deste" - v9 - mas também exclusivas "não pelo mundo" - v9.

16. O Capítulo Cinquenta e Três de Isaías Ensina a Redenção Particular.

Isaías 53 é o maior capítulo do Velho Testamento, e possivelmente em toda a Bíblia, na expiação substitutiva do nosso Salvador. O "nós" por cujos pecados Cristo foi "traspassado" - v4 a 6 -recebem nomes específicos: "meu povo" - v 8 - "Sua prole" - v 10 e os "muitos" - não todos os homens, cabeça por cabeça (v11, 12). Eles são a "o bom prazer4 do Senhor" que "prosperará em sua mão" - v 10. Deus nunca fez o réprobo "prosperar em sua mão" e Ele nunca se agradou deles (v. Sl 2v4, 5; Pv 3v32-34). Eles não são sua "semente", "povo" e "bom prazer", portanto Jesus não morreu por eles.

Aqueles por quem Cristo morreu são "curados" por "suas feridas" (v. Is 53v5). Não significa que eles apenas podem ser curados se acreditarem, mas que eles de fato são curados. Aqueles, cujos pecados o Filho levou, são também justificados: "meu Servo justo justificará a muitos e levará a iniquidade deles" - v11. O "povo" eleito de Deus (v8) são declarados perfeitamente justos, pois Cristo levou o nosso castigo (v11). Os réprobos não são justificados, logo, Ele não fez expiação por eles. É pelos "muitos", cujos pecados Ele levou, que o Salvador intercede (v12). Lembre-se, Jesus disse: "Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste" - Jo 17v9. Os "muitos" por quem Cristo sofreu e por quem Ele ora, são os eleitos e não o mundo réprobo.

Desta forma, Jesus é perfeitamente "satisfeito" - v. Is 53v11. Se alguns pelos quais Ele foi "golpeado" - (v8) - e por quem Ele intercede (v12) não são curados (v5) e justificados (v11) não prosperam "em sua mão" (v10) e não recebem uma participação em Seus despojos (v12), Cristo não ficaria "satisfeito" (v11). Se sequer uma alma por quem Ele morreu perecer, o propósito de Cristo não está plenamente realizado, Sua expiação não obteve um êxito completo e Ele está insatisfeito. A ideia de que Jesus derramou seu precioso sangue por todos, cabeça por cabeça, apresenta a cruz como um fracasso odioso com relação à maioria por quem Ele morreu e contradiz os ensinamentos da Bíblia de que Cristo está "satisfeito" com o fruto da sua morte (v11).

17. O Capítulo Um de Efésios Ensina a Redenção Particular.

Efésios capítulo 1 verso 3 declara que temos sido abençoados "com todas as bençãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo". Estas bênçãos chegam até nós "porque Deus nos escolheu n'Ele[Cristo] antes da criação do mundo" - v4 -, ou seja, nós recebemos todas essas bênçãos de acordo com a nossa eleição eterna (v4) e predestinação (v5). Efésios 1, enumera algumas de nossas bênçãos espirituais: santidade (v4), adoção (v5), aceitação de Deus (v6), redenção (v7), o perdão dos pecados (v7), o conhecimento da vontade de Deus (v9), o selo do Espírito Santo (v13) e uma herança eterna (v11, 14). Não somos apenas abençoados de acordo com a nossa eleição (v4, 5), mas todos os eleitos possuem "todas as bençãos espirituais" - v3. Por outro lado, o fato de que os réprobos não são abençoados com nenhuma dessas bênçãos espirituais, também está de acordo com o "propósito d'Aquele que faz todas as coisas segundo o conselho da Sua vontade" - v11. [5]

Uma das bênçãos espirituais que temos em Cristo é a "redenção por meio de Seu sangue" - v7. Assim, a redenção do Filho ou expiação é um exemplo dessas bênçãos espirituais que nos alcançam, "porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo" - v4. Portanto, o Senhor redimiu, derramou Seu sangue e morreu pelos eleitos; e não pelos réprobos. Por isso os eleitos são perdoados (v7), adotados (v5), aceitos (v6), santificados (v4) e selados com o Espírito (v13) para sua herança eterna (v11, 14), com base na cruz de nosso Salvador. O réprobo não recebe nenhuma das bênçãos espirituais do sacrifício de Cristo, pois Ele não morreu por eles.



_____________________________
Notas:

[3] - Versão de Almeida, Revista e Corrigida.
[4] - Versão de Almeida, Corrigida e Fiel.
[5] - Versão de Almeida, Revista e Corrigida.



Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...