domingo, 23 de fevereiro de 2014

O que pertence ou não pertence a um culto cristão? O que a Bíblia nos diz?



Como Nós Deveríamos Decidir o que Pertence ou Não a um Culto Cristão?

Para alguns cristãos, a resposta a essa pergunta parece dolorosamente óbvia: “Deus nos dá liberdade para que  o cultuemos seja lá como quisermos. Nós deveríamos  fazer o que quer que o Espírito Santo nos inspire a  fazer – afinal, nós não queremos apagar o Espírito!”
Mas e se alguém desejasse cultuar a Deus prostrando-se diante de uma imagem dele?
Certo, então talvez haja algumas coisas que não  deveríamos fazer como se fosse culto, por exemplo, pecar. Mas isso significa que, desde que não estejamos  pecando, podemos cultuar a Deus seja lá como quisermos?
De modo nenhum. A Bíblia indica que, em nosso culto corporativo, os cristãos deveriam fazer apenas aquelas  coisas que Deus positivamente exige de nós, seja por mandamento ou por inferência. Diversas linhas de  evidência bíblica dão suporte a essa posição:
Somente Deus tem o direito de determinar como ele  deve ser adorado (Lv 10.1-3; Jo 4.20-26; 1Co 14).
O segundo mandamento proíbe não apenas adorar  outros além do único Deus verdadeiro, mas também  adorar o Deus verdadeiro de um modo que ele não ordenou (Êx 20.2-6).
Dado que: a fé é uma resposta afirmativa à revelação  de Deus. Dado que: tudo o que não provém de fé é  pecado (Rm 14.23). Logo: Deus não aceitará nenhuma  adoração que não seja uma resposta afirmativa a sua  revelação.
Dado que: o Novo Testamento requer que os cristãos se reúnam regularmente (Hb 10.25). Dado que: não se  deve exigir que os cristãos se submetam a regras e práticas inventadas pelo homem (Cl 2.16-23). Logo:  qualquer igreja que, efetivamente, exija dos cristãos  reunidos que participem em uma prática que Deus não  prescreveu de modo expresso estão injustamente constrangendo a consciência desses cristãos. Em  outras palavras, porque a consciência desses cristãos  deve se manter livre de requerimentos humanos, nenhuma igreja tem o direito de corporativamente  adorar a Deus de um modo que ele não tenha  afirmado.
Como, então, nós decidimos o que pertence ou não a  um culto cristão? Nós examinamos a Bíblia para  descobrir o que Deus disse que os cristãos deveriam  fazer ao se reunirem. Então nós fazemos todas as  coisas que Deus nos diz para fazer, e nada mais.

(Parte deste material foi adaptada do capítulo “Does God  Care How We Worship?”, de Ligon Duncan, em Give Praise to  God: A Vision for Reforming Worship, editado por Philip  Graham Ryken, Derek W.H. Thomas e J. Ligon Duncan, III  [Phillipsburg: P&R Publishing Co., 2003, sem tradução em português], p. 20-50.)

O que o Novo Testamento Diz que as Igrejas Deveriam Fazer ao se Reunirem?

O Novo Testamento diz que, quando as igrejas se reúnem, elas deveriam ler a Bíblia, pregar a Bíblia, orar a Bíblia,  cantar a Bíblia e ver a Bíblia.
1. Ler a Bíblia: Paulo disse a Timóteo: “dedique-se à leitura pública da Escritura” (1Tm 4.13, NVI). As igrejas deveriam ler a Escritura, em alta voz, durante suas  reuniões.
2. Pregar a Bíblia: Paulo disse a Timóteo: “Prega a  palavra” (2Tm 4.2). O próprio Paulo declarou “todo o  desígnio de Deus” à igreja em Éfeso (At 20.27). As  reuniões de igreja, hoje, deveriam estar centradas em  sermões que tomam o ponto principal de uma  passagem da Escritura, fazem dele o ponto principal do sermão e o aplicam à vida de hoje.
3. Orar a Bíblia: Paulo insta que orações sejam feitas na  igreja reunida (1Tm 2.8; 3.14-15). O conteúdo dessas  orações deveria ser bíblico, de modo a edificar todos os presentes (1Co 14.12, 26). Isso não significa que as  orações em um culto de igreja deveriam ser secas e formais, mas que elas deveriam ser biblicamente ricas.
4. Cantar a Bíblia: Paulo disse à igreja em Colosso:  “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo  [...]louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Cl 3.16). Isso não significa que as igrejas deveriam cantar  apenas Salmos ou apenas as palavras da Bíblia, mas  significa que as igrejas deveriam cantar cânticos que sejam encharcados da linguagem e da teologia da  Bíblia.
5. Ver a Bíblia: Nós dizemos “ver a Bíblia” porque as ordenanças do batismo e da Ceia do Senhor são, para usar a expressão de Agostinho, “palavras visíveis”. No batismo e na Ceia do Senhor nós vemos, cheiramos, tocamos e provamos a Palavra. As igrejas cristãs  deveriam celebrar o batismo e a Ceia do Senhor  durante suas reuniões públicas de culto (1Co 11.17-34).

(Este material foi adaptado do capítulo “Foundations for  Biblically Directed Worship”, de Ligon Duncan, em Give  Praise to God: A Vision for Reforming Worship, editado por  Philip Graham Ryken, Derek W.H. Thomas e J. Ligon Duncan,  III [Phillipsburg: P&R Publishing Co., 2003, sem tradução em  português], p. 65-68.)



Extraído de:
http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/01/o-que-pertence-ou-nao-pertence-a-um-culto-cristao-o-que-a-biblia-nos-diz/

Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...