segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Pilatianos ou Josiasnistas??


Quando Pilatos percebeu que não estava obtendo nenhum resultado, mas, pelo contrário, estava se iniciando um tumulto, mandou trazer água, lavou as mãos diante da multidão e disse:"Estou inocente do sangue deste homem; a responsabilidade é de vocês". 
(Mateus 27:24)

Após interrogar Jesus e não encontrando nele crime algum, Pilatos entregou a decisão ao povo, que pediu sua crucificação.

Foi justo?? (1)
Pilatos agiu corretamente ao fazer a vontade da maioria mesmo não enxergando qualquer motivo para matar Cristo?? (2)

E quando a maioria ou boa parte das pessoas deseja algo que DEUS condena?? (3)
Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.
(Gálatas 1:10)

Será que candidatos políticos "cristãos" seriam exceção em prol do estado laico?? (4)

Seria possível ser verdadeiramente um servo de Cristo na prática e defender que as pessoas tem o "direito" de fazer aquilo que Deus abomina?? (5)

Se DEUS rejeita e os homens aprovam, a quem tal candidato(a) estaria servindo?? (6)

Haveria como servir '2 senhores' que são antagônicos entre si?? (Lucas 16:13) (7)

E o que dizer então da seguinte atitude do rei Josias, que ao conhecer a verdade sobre a Lei de Deus?? (8)
O rei colocou-se junto à coluna real e, na presença do Senhor, fez uma aliança, comprometendo-se a seguir o Senhor e obedecer de todo o coração e de toda a alma aos seus mandamentos, seus preceitos e seus decretos, confirmando assim as palavras da aliança escritas naquele livro. Então todo o povo se comprometeu com a aliança.
(2 Reis 23:3)

Ele se referia a isso:
Quando subir ao trono do seu reino, mandará fazer num rolo, uma cópia da lei, que está aos cuidados dos sacerdotes levitas para o seu próprio uso.Trará sempre essa cópia consigo e terá que lê-la todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer o Senhor, o seu Deus, e a cumprir fielmente todas as palavras desta lei, e todos estes decretos.
(Deuteronômio 17:18-19)

No capítulo 23 do livro de 2 Reis podem ser vistas as medidas tomadas por ele em relação às práticas idólatras do povo, e se há dúvidas sobre o quanto DEUS abomina esse tipo de práticas eu sugiro a leitura de Ezequiel 8, que dentre outros muitos e muitos textos deixam clara reação de DEUS à quebra dos mandamentos de DEUS por parte de um povo, com referência especial à idolatria..


Mas... e a democracia ??? E o estado laico ??

Obviamente muitos podem alegar que o "sistema de governo" era outro, que naquele contexto "teocrático" isso era aplicável mas hoje não..
Bom, em parte há sentido, tendo em vista que a maioria dos povos hoje pertencem a "Estados laicos e democráticos" ao invés de nações submetidas ao poder centralizado de um rei ou imperador.. Porém, se observarmos o contexto em que o rei Josias tomou tal decisão vemos que Israel era na prática "laico"..
Nos capítulos anteriores vemos muitas vezes a indicação de que muitos reis "fizeram o que o Senhor reprova", e nesse capítulo há uma ênfase no combate à idolatria realizada de forma pública, à qual os reis anteriores "lavaram as mãos" (ou até mesmo praticavam)..
Nem antes nem depois de Josias houve um rei como ele, que se voltasse para o Senhor de todo o coração, de toda a alma e de todas as suas forças, de acordo com toda a Lei de Moisés.
(2 Reis 23:25)


Mas... e a democracia ??? E o estado laico ??


Pilatos foi democrático.
Josias foi teocrático.

Então, considerando Gálatas 1:10, qual deles estava certo?? (8)


Claro que não seria justo um governante cristão eleito pelo povo passar por cima da Constituição do país e impor sua cosmovisão a todos que governa, mas será que um(a) CANDIDATO(A) ao governo deve se colocar como servidor dos futuros governados mesmo quando essas pessoas querem o que é claramente contra aquilo que DEUS chama de "bom" ou "justo"??


O que seguir??
Deve assumir que "a voz do povo é a voz de Deus" ou Gálatas 1:10??


Em quem se espelhar?? Pilatos ou Josias??

Uma dica:
O fato de vossa Majestade reconhecer que para Cristo assumir plena posse de seu reino deve-se necessariamente haver completa purificação de todas as superstições, nisso caracteriza-se vossa singular sabedoria; e ao empreenderdes e intentardes o que julgais ser realmente necessário para este fim, tal esforço constitui uma evidência de rara virtude. Há muito sinais que dão uma quase infalível esperança a todos os homens de bem, a saber: que estais divinamente destinado a ser outro Ezequias, ou Josias, disposto a restaurar no reino da Polônia a mais pura doutrina do evangelho, a qual foi corrompida por todo o mundo pela astúcia de Satanás e pela perfídia dos homens.
Carta de João Calvino a Sigismund Augustus, rei da Polônia.
Extraído dos "Comentários de Hebreus", Editora Fiel.



Mas... e a democracia ??? E o estado laico ??

Resposta: Tanto o Estado como qualquer indivíduo devem ser sujeitar a DEUS (Romanos 13:16) e não há algo como um "direito" para que seja diferente disso.. Não há base bíblica para essa 'independência', por mais que não haja também o direito de que a Igreja imponha isso a todos..

Um cristão jamais deveria se colocar como porta-voz das iniquidades daqueles que são claramente inimigos de DEUS e portanto sua "candidatura" deve ser pautada nos preceitos divinos e não seculares.
Se tal candidato for então eleito, bastará (buscar) cumprir o que prometeu, e nesse caso a democracia está sendo praticada, já que os eleitores já sabiam de antemão do compromisso desse candidato com DEUS (podendo então concordar ou rejeitar na hora de votar).


Fiz pelo menos 8 perguntas neste texto que nunca são devidamente consideradas e muito menos respondidas pelos "Pilatianos" de plantão (na verdade são ignoradas), e creio que seja justamente porque entre o comodismo da aceitação pública e o esforço em defender a Verdade e serem perseguidos, eles "lavam as mãos"..


Ver o artigo ou a parte seguinte Ver o artigo ou a parte anterior Ver a página principal
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...